PR guineense diz que homólogo venezuelano pediu intervenção no caso de detido em Cabo Verde

Bissau, 30 Dez (Inforpress) – O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, anunciou hoje ter sido “por várias vezes” contacto pelo seu homólogo venezuelano, Nicolás Maduro, no sentido de ajudar a resolver o caso do cidadão colombiano Alex Saab, detido em Cabo Verde.

Saab, de 48 anos, foi detido pela polícia cabo-verdiana em colaboração com a Interpol no cumprimento de um mandado de captura internacional emitido contra si pelos Estados Unidos de América (EUA) que agora querem a sua extradição.

Alex Saab é cidadão colombiano, mas também tem a nacionalidade da Venezuela.

O Presidente guineense, que hoje fez um balanço do ano, desmentiu que tenha sido, alguma vez, contactado pelas autoridades colombianas sobre o caso relacionado com Alex Saab.

Instado a comentar informações que circulam nos meios políticos e diplomáticos na Guiné-Bissau, segundo as quais a Colômbia estaria a pedir o apoio de Umaro Sissoco Embaló no sentido de facilitar a libertação de Alex Saab, o Presidente guineense desmentiu as alegações.

“Estou a ouvir isso pela primeira vez. Não existe nenhum pedido formal da Colômbia nesse sentido para a Guiné-Bissau”, afirmou Sissoco Embaló, para esclarecer que da parte da Venezuela tem havido contactos.

“Agora o que é verdade é que o Presidente Nicolás Maduro ligou-me várias vezes para pedir-me que interceda junto dos irmãos cabo-verdianos sobre o cidadão venezuelano que está detido em Cabo Verde e que está com um mandado de captura internacional emitido pelos americanos”, declarou Embaló.

Para o Presidente guineense, o pedido de apoio de Nicolás Maduro nesse sentido “é um bom sinal”, porque demonstra que a Guiné-Bissau “conta para alguma coisa”.

Umaro Sissoco Embaló disse ser normal que Maduro fale com o Presidente da Guiné-Bissau como também falou o Presidente (Vladimir) Putin da Rússia, o Presidente de Cuba e de outros países, destacou.

Embaló realçou aquilo que disse ter afirmado na sua recente visita privada a França, que a Guiné-Bissau “é feita de pessoas de bem” e que está disponível em tudo o que possa servir para trazer a paz no mundo.

Alex Saab foi detido em 12 de Junho pela Interpol e pelas autoridades cabo-verdianas, durante uma escala técnica no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, na ilha do Sal, com base num mandado de captura internacional emitido pelos EUA que o consideram um testa-de-ferro do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

Inforpress/Lusa/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos