Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

PR garante que nomeação de Jorge Figueiredo para embaixador em Angola foi uma decisão ponderada

 

Cidade da Praia, 03 Mai (Inforpress) – O Presidente da Republica, Jorge Carlos Fonseca garantiu hoje, na Cidade da Praia, que a nomeação do médico e ex-autarca, Jorge Figueiredo, para o cargo de embaixador de Cabo Verde em Angola, “foi uma decisão ponderada”.

Jorge Carlos Fonseca que falava aos jornalistas à margem da conferência sobre “liberdade de imprensa e censura na era digital”, realizada na Cidade da Praia, disse que há muito tempo que tinha recebido a proposta do Governo para a nomeação de Jorge Figueiredo, ainda juntamente com as propostas de nomeação de Eurico Monteiro e Carlos Veiga para Portugal e EUA, respectivamente.

Conforme adiantou o PR, apesar de a lei em Cabo Verde permitir a nomeação de embaixadores que não sejam de carreira diplomática, ele sempre defendeu, com base na leitura que faz da função diplomática, que a preferência deve ser dada a embaixadores que sejam de carreira.

“Isto é, enquanto não for alterado esse quadro, um embaixador que não seja de carreira tem de constituir uma nomeação execepcional e é dentro deste quadro, para mim muito claro, que sempre transmiti ao Primeiro-ministro e o ministro dos Negócios Estrangeiros e faço agora, que eu ajo. Portanto vou ponderando levando em conta a fundamentação do Governo”, disse.

Desde que o actual Governo liderado por Ulisses Correia e Silva, tomou posse, há um ano, já foram nomeados três embaixadores considerados políticos, isto é, que não quadros de carreira diplomática.

Jorge Carlos Fonseca adianta que esse número é contrabalançado por outras nomeações já realizadas dentro da carreira diplomática, estando, neste momento, o Governo na posse da sua aprovação ao pedido de ‘agrément’ para mais quatro ou cinco todos de carreira diplomática.

“Portanto, é este sentido de equilíbrio tendo em conta o princípio regra de que é permitido nomear embaixadores que não são de carreira. O governo pode ter interesse de um certo perfil de embaixador para certos tipos de perfis com o qual temos relação, fundamenta e o Presidente aceita ou não aceita, nomeia ou sugere que se apresente outro nome”, disse.

MJB/FP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos