PR enaltece a importância de Cabo Verde na região ultraperiférica do diálogo África-Europa

Cidade da Praia, 23 Fev. (Inforpress) – O Presidente da República considerou hoje que Cabo Verde, enquanto região ultraperiférica, do diálogo África-Europa, sai reforçada, na medida em que já se relaciona com a UE num quadro da Parceria Especial que extravasa o Acordo de Cotonou.

Jorge Carlos Fonseca manifestou esta convicção durante o X encontro sobre o “Triângulo Estratégico” América Latina-Europa-África”, que este ano se realiza no formato virtual, dedicado ao tema “Recuperação Económica e Saúde Global” e que interveio no encerramento deste colóquio, na qualidade de convidado de honra.

O chefe do estado sublinhou o facto de a UE ter elegido o relacionamento bilateral como centro de gravidade da sua acção global, visando forjar compromissos mais sólidos e vinculativos no período pós-Cotonu.

O Presidente da República referiu que a União Africana e o Grupo dos Estados ACP não só reconhecem, mas também defendem a incorporação dos acordos bilaterais já existentes com a União Europeia nas suas posições.

“Sendo um país fiável e parceiro de confiança, Cabo Verde encerra um potencial de valorização estratégica acrescida na região e, enquanto parceiro privilegiado da Europa, pode contribuir para a salvaguarda e promoção dos valores democráticos, na manutenção da segurança e estabilidade, bem como na boa vizinhança e integração regional efectiva na sub-região oeste-africana”, advogou.

Já a pronunciar-se sobre o multilateralismo e a reforma das Nações Unidas, frisou que” tem sido o melhor instrumento para realizar os bens globais como a paz, a segurança e a luta contra a pobreza, assim como para enfrentar os desafios globais como as mudanças climáticas e as pandemias.

“Daí ser muito importante para Cabo Verde acreditar num sistema multilateral que funciona, apoiar o reforço e a revigoração desse sistema e trabalhar, em conjunto com outros grupos afins, para também beneficiar desse sistema nos capítulos da paz, segurança e desenvolvimento”, sintetizou.

Quanto à equidade na distribuição da vacina da covid-19, Jorge Carlos Fonseca afirmou ser “uma necessidade sanitária e de um imperativo ético”, alegando que esforços envolvendo as diferentes instâncias das Nações Unidas, os países ricos, as empresas farmacêuticas devem ser encetados para que todos e em todos os lugares possam ser vacinados.

O mais alto magistrado da Nação destacou o facto da União Africana reconhecer a “enorme importância da iniciativa da Aliança Global para as vacinas – Covax – que vai apoiar o envio de vacinas para cobrir 20% da população do continente africano.

O Presidente da República reconhece ainda a necessidade de um maior apoio internacional a esta iniciativa.

“Temos de demonstrar a nossa preocupação com a necessidade de o continente africano ter de procurar mecanismos adicionais, no sentido de garantir que pelo menos 60%da população do continente seja vacinada”, realçou.

Os Encontros “Triângulo Estratégico” são uma plataforma de diálogo político e económico, sobre o Atlântico, co-organizada pelo Instituto para a Promoção da América Latina e Caraíbas (IPDAL) e Secretaria-geral Ibero-Americana, desde 2012.

Participam alguns dos mais destacados especialistas e decisores políticos e empresariais dos três continentes, para que apresentem propostas de melhoria nas relações atlânticas.
SR/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos