PR diz que em quatro anos já se pode vislumbrar “grandes ganhos” da campanha “Menos álcool mais vida”

Pedra Badejo, 01 Jul (Inforpress) – O Presidente da República considerou hoje que já se pode vislumbrar “grandes ganhos” da campanha “Menos álcool Mais Vida”, mas alertou que ainda persistem “grandes desafios”, nomeadamente o cumprimento da nova lei do álcool.

Jorge Carlos Fonseca, que falava na abertura do evento ‘online’, por video-conferência, de celebração do quarto aniversário da campanha “Menos álcool mais vida”, alertou para a produção e comercialização informal de “bebidas alcoólicas de baixa qualidade”.

Ao seu ver, ainda existe “grande disponibilidade de acesso facilitado” de bebidas alcoólicas.

“Todavia, já podemos vislumbrar os enormes ganhos nesta área”, observou o chefe de Estado, salientando que os contributos desta iniciativa são deveras “incontestáveis”, destacando a criação de uma “vasta” rede de parceiros em todo o País.

“A direcção e a comissão de coordenação da campanha, com representação de todos os promotores e diversos parceiros, com destaque para cerca de meia centena de embaixadores da campanha em todos os concelhos do País, tem permitido o desenvolvimento de um conjunto de acções significativas, que fazem com que esta caminhada seja meritória e compensatória”, garantiu.

Conforme lembrou Jorge Carlos Fonseca, o período de 2019 a 2020 foi estabelecido como ano de mobilização nacional para a prevenção do uso abusivo do álcool, cujas metas, no seu entender, foram parcialmente atingidas.

“Esta mobilização está a ser caracterizada pela intensificação da comunicação a diversos níveis, assim como das actividades nos concelhos”, enfatizou.

Por sua vez, o representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Cabo Verde, Hernando Agudelo, afiançou que a organização tem razões claras para apoiar esta campanha, tendo em conta que o alcoolismo é um dos principais factores de riscos para a saúde da população a nível mundial.

Segundo ele, a nova lei do álcool é um “grande marco” para esta causa, que considera ter uma abordagem multissectorial e multidisciplinar, com o envolvimento de diferentes instituições.

Tudo isso, garantiu, vai ao encontro das estratégias da OMS defendidas no plano de acção mundial.

“Congratulamos mais uma vez por todas as acções desenvolvidas por esta campanha. Renovamos aqui o compromisso da OMS em continuar contribuindo para esta matéria, com vista o alcance das metas dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)”, enfatizou.

WM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
[wd_asp elements='search' ratio='100%' id=2]
    • Categorias

  • Galeria de Fotos