PR destaca Eugénio Tavares como representante perfeito do espírito cabo-verdiano na cultura das ilhas

Cidade da Praia, 18 Out (Inforpress) – O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, destacou Eugénio Tavares como uma das figuras que representam “perfeitamente” o espírito cabo-verdiano na cultura das ilhas, considerando ser uma personalidade “extraordinária e singular”.

Numa mensagem para assinalar o Dia Nacional da Cultura e das Comunidades, o Chefe de Estado começou por referir que o dia que foi escolhido para celebrar a cultura das ilhas, tem como patrono Eugénio Tavares, figura maior que a própria vida, ou seja, capaz de viver várias numa só.

“Mas o poeta e compositor, natural da ilha Brava, não será um rebento isolado nesta charneca fértil em homens e mulheres que fizeram na cultura das ilhas o seu modo de vida, a sua forma de estar e de pensar”, assinalou.

Segundo Jorge Carlos Fonseca, a cultura é o alimento “invisível” que o povo produz, consome, e partilha com o resto do mundo, sendo ela que garante este carácter resiliente e solidário e a paz com que se celebra cada dia que nasce.

Por outro lado, avançou, ao longo de 10 anos de exercício dos dois mandatos presidenciais (2011- 2016 e 2016 – 2021), se afirmou fiel ao compromisso de ser um Presidente junto das Comunidades, tendo eleito como bandeiras principais a união de toda a Nação cabo-verdiana e o acompanhamento do processo de integração dos cabo-verdianos nos países de acolhimento.

“Em particular, as comunidades que se encontram em situação especialmente precária, assumindo, sobretudo, o compromisso de dar voz às suas preocupações e estar atento aos seus desejos, quer em relação à sua vida nos países de emigração quer em relação aos contactos que estabelecem com Cabo Verde”, frisou.

Jorge Carlos Fonseca afirmou que no estrito respeito pela Constituição da República, adoptou, desde o início, uma estratégia de proximidade que lhe permitiu acompanhar, a par e passo, as mais diversas facetas da vida das comunidades cabo-verdianas espalhadas pelo mundo, num constante pulsar ao ritmo das alegrias, das angústias e das interrogações das pessoas.

Revelou que confirmou os ganhos significativos alcançados junto das comunidades, estando na linha da frente muitos líderes associativos e Associações cabo-verdianas que se mantêm fiéis à nobre missão de unir os cabo-verdianos à terra mátria e promover a boa integração das gentes das ilhas, com foco especial nos mais vulneráveis.

“Orgulhosamente, recebi de diversas altas personalidades contactadas e dos mais altos dignitários mundiais, designadamente os Presidentes dos países de acolhimento das nossas comunidades, Sua Majestade o Rei da Holanda e Sua Alteza Real o Grão Duque do Luxemburgo, referências “muito elogiosas” às comunidades cabo-verdianas”, sublinhou.

Por fim, em jeito de despedida, a todos os cabo-verdianos e compatriotas nas diferentes comunidades espalhadas pelo mundo, manifestou a sua gratidão por lhe terem concedido o privilégio – por duas vezes – de os representar ao mais nível do País.

HR/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos