Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

PR deposita coroa de flores na estátua Amílcar Cabral e enaltece a data que simboliza a soberania do país

Cidade da Praia, 05 Jul (Inforpress) – O Presidente da República(PR), Jorge Carlos Fonseca, depositou esta manhã, como já é tradição, uma coroa de flores na estátua de Amílcar Cabral, para assinalar o 44º aniversário da Independência Nacional, celebrado hoje, 05 de Julho.

Em declarações à imprensa, após a cerimónia, o PR considerou tratar-se de mais um ano em que o país assinala uma efeméride “importante” e decisiva para a vida do país por simbolizar a data em que Cabo Verde passou a ombrear com outros países do mundo na comunidade dos países soberanos e independentes.

“Quarenta e quatro anos depois deve ser uma data de festa, alegria, confiança no futuro, sem que isso implique a omissão de uma avaliação do percurso que temos feito, um percurso muito positivo, e conhecido por todos”, afirmou.

Ainda Jorge Carlos Fonseca, a data deve servir para que os cabo-verdianos possam olhar para frente com sentido de ambição, visando acelerar o crescimento do país, aperfeiçoar o estado de direito democrático e criar condições para que o arquipélago seja “verdadeiramente” desenvolvido.

Conforme o Chefe de Estado, na sua declaração, o país deve lutar para um desenvolvimento mais igual, com menos desigualdade sociais e menos diferenças regionais, enfim, uma Nação que possa proporcionar a todos os cabo-verdianos progresso material, bem-estar económico, social e cultural.

E para isso, realçou, Cabo Verde deve sempre enaltecer os homens que participaram na luta da libertação, pelo que a imposição de flores no memorial Amílcar Cabral, sublinhou, visa simbolizar o reconhecimento e gratidão por todos quanto lutaram.

“Dessa plateia de homens e mulheres destaca-se Amílcar Cabral que foi quem pensou, idealizou e liderou o movimento da luta nacional”, disse.

Feito isso, saudou o facto de ter encontrado o espaço memorial “mais agradável e mais digno”, o que, nos eu entender, mostra o respeito pela Independência e os heróis nacionais.

No acto se fizeram presentes o primeiro-ministro, o presidente da Assembleia Nacional, os combatentes da pátria e diplomatas representados no país.

A Independência Nacional considerada como o marco histórico do arquipélago, aconteceu a 05 de Julho de 1975.

PC/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos