Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

PR apela ao cumprimento das normas sanitárias por parte da população e pede reforço da fiscalização

Cidade da Praia 12 Abr (Inforpress) – O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, apelou hoje, na Cidade da Praia, ao cumprimento das normas sanitárias por parte da população cabo-verdiana e pede que as autoridades sanitárias reforcem a fiscalização.

À imprensa, Jorge Carlos Fonseca disse que nos últimos dias tem estado a fazer apelos à população para o cumprimento das regras sanitárias, reavaliação das medidas em curso, caso for necessário, e reforçar a fiscalização por parte das autoridades.

“Não basta nós anunciarmos as medidas se elas não forem efectivamente cumpridas, pois para serem seguidas as pessoas tem de ter consciência e fazê-lo de livre e espontânea vontade”, declarou.

Conforme afiançou, as pessoas têm de ter consciência de que o ajuntamento e a aglomeração e o não uso das máscaras, constituiu um factor “forte” de contágio.

O Presidente da República salientou ainda que a campanha eleitoral está na sua recta final e pede o cumprimento das normas sanitárias por parte dos partidos políticos, realçando que de nada serve o acesso à governação do país, quando está em causa a vida humana.

“Eu sou muito ciente da importância das campanhas e das competições democráticas, certo que é muito importante, mas de nada vale isso caso houver um descarrilamento da actual situação sanitária”, afirmou.

O Chefe de Estado referiu que para além das actividades eleitorais a população deve evitar aglomerações, nas praias de mar e festas privadas, considerando que o bom senso individual no comprimento das normas é fundamental para evitar a propagação.

“Se as regras não estão sendo cumpridas, tem que haver autoridades para exigirem esse comprimento, pois tem de ter controle e fiscalização por parte das autoridades de saúde, policiais, entre outros”, destacou.

Jorge Carlos Fonseca assegurou que caso esta situação se mantiver, logo a seguir do fim das campanhas eleitorais, irá proporcionar um encontro com as autoridades de saúde e políticos, para fazerem uma reavaliação da situação dos dados, das medidas e inclusivamente do estado sanitário que neste momento está declarado.

“Só em último recurso iremos para o estado de emergência, mas para evitarmos isso, nós temos de ter atitude, gestos e comportamentos que nos levem a evitar esse estado”, finalizou.

DM/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos