Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Posse do novo presidente do Tribunal de Contas marcada para 13 de Novembro

Cidade da Praia, 08 Nov (Inforpress) – O novo presidente do Tribunal de Contas (TC), João da Cruz Silva, vai ser empossado no cargo na terça-feira, 13, numa cerimónia a ser presidida pelo Presidente da República, soube a Inforpress.

João da Cruz Silva, que vai substituir José Carlos Delgado, vai ser coadjuvado pelos juízes conselheiros Ana Filomena Livramento dos Reis, José Maria Mendes Cardoso, Victor Manuel Varela Monteiro e Claudino Maria Monteiro Semedo.

Quadro do Tribunal de Contas, João da Cruz Silva foi nomeado no mês passado pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, sob proposta do Governo.

O colectivo de juízes do TC estava com mandato caducado há quatro anos, mais concretamente, desde Junho de 2014, data da última recondução nos termos do decreto-presidencial nº 11/2009, de 29 de Junho. Entretanto, por norma, o colectivo de juízes continuou até ser substituído.

O mandato dos juízes do Tribunal de Contas é de cinco anos renovável. De acordo com a Constituição da República, “o Tribunal de Contas é o órgão supremo de fiscalização da le­galidade das despesas públicas e de julgamento das contas que a lei mandar submeter-lhe”.

O TC tem ainda “jurisdição e poderes de controlo financeiro no âmbito de toda a ordem jurídica cabo-verdiana, tanto em território nacional como no estrangeiro, neste caso, em relação a serviços, organismos ou representações do Estado no exterior.”

A nova lei do Tribunal de Contas aprovada a 15 de Dezembro de 2017 e que substitui a Lei 84/IV/93, com 20 anos de vigência, possibilitou ainda o alargamento do controlo do TC a todas as entidades que gerem e utilizam fundos públicos, qualquer que seja a sua natureza.

O TC passou a ter competências para controlar ainda todas aas entidades do sector público empresarial, das concessionárias de serviços públicos e das entidades de qualquer sector que beneficiem de fundos públicos, tudo com objectivo de garantir a transparência na utilização do recurso público.

MJB/CP

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos