Portugal: UCCLA abre portas para visitas guiadas à exposição “Olhares da Guinendade – Artes da Guiné-Bissau”

Lisboa, 23 Jul (Inforpress) – As portas da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA) vão estar abertas, a partir de hoje, em três fins-de-semana para visitas guiadas à exposição “Olhares da Guinendade – Artes da Guiné-Bissau”, nas suas instalações em Lisboa.

As visitas guiadas estão também marcadas para os dias 20 de Agosto e 10 de Setembro, fins-de-semana (23 e 24 de Julho, 20 e 21 de Agosto, e 10 e 11 de Setembro) que a exposição estará alberta ao público, revelando “aspectos de uma cultura edificada numa diversidade imensa, assente em raízes de diversas comunidades da Guiné-Bissau”.

Segundo informações divulgadas pela UCCLA, as visitas guiadas que começam um mês depois da abertura da exposição, serão realizadas pelos curadores, e haverá diversas actividades paralelas, como palestras, lançamentos de livros e exibição de documentários.

A primeira visita guiada a ser realizada hoje, a partir das 15:30, pelo curador Tony Tcheka, será seguida da palestra “Falas di Panus di Pinti – Vozes dos panos: uso e simbolismo” pela professora Odete Semedo, deputada, escritora, poeta e especialista em panaria guineense.

Organizada pela UCCLA e pela Associação de Escritores da Guiné-Bissau, a exposição “Olhares da Guinendade – Artes da Guiné-Bissau” conta com a curadoria de três guineenses, sendo Manuela Jardim, Nú Barreto e Tony Tcheka, que a organizaram em três núcleos.

O primeiro núcleo é o da Panaria, com cerca de 15 obras, “imortalizada na herança ancestral”, o segundo é constituído por 41 peças etnográficas em representação da “imensa riqueza cultural e patrimonial guineense”, e no terceiro perfilam-se 28 obras de artistas contemporâneos com “grande diversidade de cores e imagens, em grande parte retratando a vida de pessoas e o seu quotidiano”.

Os artistas representados na exposição são António Aly Silva, Carlos Barros (Carbar), Diamantino Monteiro, Elautério Martins (MO), Gregório Monteiro (Galóga), Helena Neves Abrahamsson, Irley Rivera, João Carlos Barros, Kevin Miranda Lima, Manuel Júlio, Manuela Jardim, Mário Cesariny, Nú Barreto, Rui Vasquez e Sidney Cerqueira.

Estão representadas cinco etnias na exposição, nomeadamente Bijagó, Fula, Mandinga, Mandjaco e Nalú.

Presentes na exposição, estão colecções de David S. Lopes, de Tony Tcheka, do Colectivo Multimédia Perve, da Fundação PLMJ, da Galeria Nimba e Pó di Terra.

DR/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos