Portugal: Proprietária de restaurante em Lisboa aponta a mulher cabo-verdiana como sua maior inspiração (c/áudio)

Lisboa, 12 Set (Inforpress) – Clara Marques, natural da Cidade da Praia, proprietária do restaurante “Sabores da vida”, em Alfornelos, Lisboa, afirmou que se inspira na mulher cabo-verdiana para ultrapassar os desafios diários, por serem “fortes e resilientes”.

Em declarações à Inforpress, a proprietária do restaurante, que tem feito sucesso junto dos cabo-verdianos residentes em Portugal e de outros países, disse que chegou a Portugal há 20 anos para estudar, tendo-se licenciado em Serviço Social, na Universidade de Trás-os-Montes.

Iniciou um mestrado em Criança e Jovens em Risco, que não concluiu, tendo vindo à Lisboa para começar a trabalhar, nunca na sua área de formação, e, em 2020, decidiu arriscar e começou a fazer petiscos cabo-verdianos em casa, como cuscuz, pastel de milho e doce de leite, em plena pandemia, com venda através das redes sociais.

“Cheguei com 18 anos, primeira vez em Portugal, um país totalmente desconhecido para mim, mas sempre muito focado no que vim fazer. Quando terminei os estudos, a ideia era voltar para Cabo Verde, nas depois comecei a trabalhar e uma das coisas que me fez ficar foi o medo de ir e ser mais uma boca para os meus pais se não encontrasse trabalho”, contou.

Segundo ela, por se estar num país estrangeiro, muitas vezes as mulheres são desvalorizadas, mas quer mostrar que elas trabalham e têm capacidade, alertando que em duas décadas, nunca sofreu racismo, mas que o preconceito existe.

“Estamos num país que não é nosso e nós que já começamos devemos servir como referência as que vão iniciar agora para não passarem pelas dificuldades que passamos. A mulher em si já tem uma carga pesada da sociedade, como mãe, dona de casa, empreendedora e temos uma cobrança que vem do homem e fico mais triste quando vejo essa cobrança vir de uma mulher”, lamentou.

Clara Marques, nascida e criada em Vila Nova, apontou a sua mãe e avó e todas as mulheres cabo-verdianas como a sua maior inspiração, daí o logotipo do seu restaurante ser baseado nessas mulheres, mas defendeu que “as mulheres devem ser mais unidas” e não olhar umas às outras muito como concorrentes.

“As gerações da minha avó e minha mãe são mulheres que não tinham nada, mas conseguiram criar os seus filhos. Sempre me inspirei na mulher cabo-verdiana que sofre muito, mas tem uma força sobrenatural”, disse, explicando que é por isso que acreditou ser capaz e avançou para um espaço físico, abrindo o restaurante “Sabores da vida”, em 2021, na zona de Alfornelos.

Conforme ela, o “Sabores da vida” tornou-se num ponto de encontro, “não só para os cabo-verdianos que estão em Lisboa, mas para os que vêm de outros países, como Estados Unidos, Suíça ou Luxemburgo, e acabam sempre por encontrar outras pessoas” que gostam de lá ir para degustar “coisas de terra”.

A empreendedora cabo-verdiana, com dois filhos, vincou que a mulher cabo-verdiana está a dar passos para conquistar o seu lugar, e deixou uma mensagem no sentido de todas trabalharem para conseguirem a sua independência financeira, não ficando “presa a um diploma”, porque às vezes aparecem oportunidades noutras áreas que se deve agarrar.

DR/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos