Portugal: Obra “Uma Pedra Contra o Firmamento” de José Luiz Tavares apresentada em Lisboa

Lisboa, 28 Nov (Inforpress) – A obra “Uma Pedra Contra o Firmamento”, do cabo-verdiano José Luiz Tavares, é apresentado esta sexta-feira, 02 de Dezembro, no Centro Cultural Cabo Verde (CCCV), em Lisboa, e estará a cargo de Pires Laranjeira e Zetho Gonçalves.

Segundo a organização do evento, a obra abarca um período de 23 anos, 1999/2022, em que o autor compila discursos, intervenções, entrevistas, “polémicas cívicas e literárias”, notas antropológicas, históricas, paisagísticas, políticas e sociais sobre Cabo Verde, estudos sobre a sua obra, e um poema sobre a “marginalidade poética, contraposta a uma certa marginalidade social”.

De acordo com a mesma fonte, o livro “intenso e extenso”, com cerca de 600 páginas, é um “testemunho para durar e perdurar”, no ano em que o autor comemora 55 anos de vida, e 35 de escrita.

José Luiz Tavares nasceu a 10 de Junho de 1967, em Tarrafal de Santiago, Cabo Verde, e estudou literatura e filosofia em Portugal, onde vive.

Publicou vários trabalhos, nomeadamente “Paraíso apagado por um trovão”, “Agreste matéria mundo”, “Polaróides de distintos naufrágios”, “Rua antes do céu”, “Prólogo à invenção do dilúvio/prólogo a la invención del diluvio”, “Ku ki vos/ Com que voz”, “Instruções para uso posterior ao naufrágio” e “Com o fósforo duma só estrela/Com el fósforo de una sola estrella”.

Os poemas do escritor, que é membro da Academia Cabo-verdiana de Letras, estão traduzidos para inglês, espanhol, francês, alemão, neerlandês, italiano, catalão, letão, finlandês, russo, mandarim e galês, sendo que ele já traduziu Camões, Pessoa e João Cabral de Melo Neto para a língua cabo-verdiana.

O poeta já foi agraciado com prémios como Prémio Revelação Cesário Verde em 1999, Prémio Mário António de Poesia, Fundação Calouste Gulbenkian em 2004, Prémio Jorge Barbosa, Associação de Escritores Cabo-verdianos em 2006, Prémio Pedro Cardoso, Ministério da Cultura em 2009, Prémio de Poesia Cidade de Ourense (Espanha”), em 2010, e prémio BCA/Academia Cabo-verdiana de Letras, em 2016.

Por três vezes consecutivas – 2008, 2009 e 2010 – recebeu o Prémio Literatura para Todos do Ministério da Educação do Brasil, por livros destinados a neo-leitores jovens e adultos, Prémio Vasco Graça Moura /Imprensa Nacional Casa da Moeda (2018), e em Outubro foi seleccionado para a primeira edição das Bolsas de Residência Literária Eça de Queiroz, que tem por objectivo promover a produção literária em língua portuguesa.

A apresentação da obra “Uma Pedra Contra o Firmamento”, de José Luiz Tavares, está marcada para às 17:00 (16:00 em Cabo Verde).

DR/CP

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos