Portugal: Edição 2022 do Prémio Fernão Mendes Pinto com inscrição até 31 de Julho

Lisboa, 14 Jul (Inforpress) – A AULP lançou, até 31 de Julho, a edição 2022 do Prémio Fernão Mendes Pinto para galardoar dissertação de mestrado ou tese de doutoramento que contribua para aproximação das comunidades de língua portuguesa.

Segundo o regulamento do concurso, o prémio, atribuído anualmente pela Associação das Universidades de Língua Portuguesa (AULP), tem como objectivo galardoar uma dissertação de mestrado ou tese de doutoramento que contribua para a aproximação das comunidades de língua portuguesa, explicitando relações entre comunidades de, pelo menos, dois países.

“As propostas deverão ser apresentadas por instituições de ensino superior ou institutos de investigação científica membros da AULP, com as quotas em dia no ano referenciado, de países de língua portuguesa, e deverão dar entrada na AULP até ao dia 31 de Julho de cada ano”, lê-se no regulamento.

O valor do Prémio Fernão Mendes Pinto é de 8.000 euros (cerca de 880 mil escudos) a atribuir numa parceria conjunta entre a AULP e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) ao autor premiado e cuja publicação será da responsabilidade do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua I.P. (Camões, I.P.).

De acordo com a mesma fonte, os trabalhos serão agrupados em várias secções, nomeadamente “Letras e Artes”, “Ciências Exactas”, “Ciências da Saúde e da Vida” e “Ciências Sociais e Humanas”.

O júri será constituído por um conjunto de professores de áreas diferentes e provenientes de instituições de ensino superior de vários países que fazem parte da AULP.

O Prémio Fernão Mendes Pinto de 2020 foi para Mateus Segunda Chicumba, licenciado na Universidade Agostinho Neto, Angola, que defendeu a tese de doutoramento “A educação bilingue em Angola. E o lugar das línguas nacionais”, na Universidade de Lisboa, Portugal, e 2021 para Sara Santos Morais, que defendeu a tese de doutoramento “O palco e o mato. O lugar das timbíla no projecto de construção da nação em Moçambique”, na Universidade de Brasília, Brasil.

Os mesmos foram entregues no final do 31º encontro da AULP que decorreu de 12 a 14 de Julho na Universidade de Coimbra (UC), Portugal, dedicado ao tema “Globalização e Saúde”.

O evento académico, cultural e científico da AULP, associação fundada em 1986, reuniu cerca de 140 universidades dos oito países de língua oficial portuguesa (Cabo Verde, Angola, Brasil, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste – e da Região Administrativa Especial de Macau).

DR/HF

Inforpress/Fim

 

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos