Porto Novo/seca: Edil volta a alertar para o “momento dramático” por que passa este município

 

Porto Novo, 16 Nov (Inforpress) – O edil do Porto Novo, Aníbal Fonseca, reforçou hoje o apelo ao Governo e aos países amigos no sentido que acudirem o seu município que vive, nesta altura, “um momento dramático” por causa da seca.

“Vivemos, nesta altura, um momento dramático em Santo Antão, particularmente no Porto Novo, onde não temos as condições para abastecer com água à população do Planalto Norte e aos criadores dessa localidades e arredores da cidade”, avisou o autarca porto-novense.

O único auto-tanque de que dispõe o município do Porto Novo para levar água às zonas altas está, neste momento, avariado, estando a edilidade a recorrer a privados para socorrer as comunidades dos planaltos Norte e Leste e os criadores.

Aníbal Fonseca falava à imprensa no final de uma visita de dois dias a Santo Antão de uma delegação chefiada pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Felipe Tavares, integrada pela ministra das Infra-estruturas, Habitação e Ordenamento do Território e os embaixadores dos países membros da União Europeia acreditados em Cabo Verde.

Essa missão teve como propósito possibilitar ao Governo e aos diplomatas da UE em Cabo Verde se inteirarem das obras executados no âmbito do programa de recuperação de Santo Antão, na sequência das cheias que fustigaram esta ilha em Setembro de 2016.

“A delegação constatou que as obras de reparação das estradas, caminhos vicinais e infra-estruturas agrícolas tiveram um impacto positivo em Santo Antão”, sublinhou Aníbal Fonseca, enaltecendo a importância do apoio da EU na recuperação da ilha de Santo Antão.

O presidente da Câmara Municipal do Porto Novo disse ter aproveitado a oportunidade para abordar com a delegação a problemática do mau ano agrícola em Santo Antão, tendo aproveitado a ocasião para reforçar o apelo ao Governo e aos “países que possam ajudar” no sentido de acudirem esta ilha e Porto Novo, em particular, que vive “um momento dramático”.

Para Anibal Fonseca, o plano de emergência para a mitigação da seca, anunciado pelo Governo, deve ser “efectivado para hoje” porque “Porto Novo não consegue esperar mais”, suplicando ao executivo para “ajudar as pessoas enquanto é tempo” , uma vez que “agora é que o momento de auxiliar quem precisa”.

“Pedimos que o plano de emergência seja efectivado para hoje, porque Porto Novo não consegue esperar mais”, notou o autarca, chamando a atenção para a “necessidade urgente” se socorrer os criadores e as populações, no geral, vítimas da seca que fustiga este município.

Porto Novo, no quadro do plano de emergência, deve beneficiar de uma verba que, segundo o edil local, ultrapassa os 150 mil contos, para apoiar os criadores no salvamento do gado, atenuar o problema de água, sobretudo, nas zonas altas, e amenizar o problema do desemprego, com a criação de 500 postos de trabalho, durante 14 meses.

JM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos