Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Porto Novo/Tarrafal: Pescadores queixam-se de dificuldades na conservação do pescado

Porto Novo, 26 Nov (Inforpress) – Os pescadores do Tarrafal, Porto Novo, Santo Antão, “precisam e muito de melhores condições” de conservação do pescado e clamam pelos investimentos de 200 mil contos nas pescas em Tarrafal e Monte Trigo, prometidos pelo Governo para este ano.

O presidente da Associação dos Pescadores do Tarrafal, Isaías Pires, lembrou que o Governo prometeu, para 2019, um projecto integrado para Tarrafal e Monte Trigo, com enfoque nas pescas, à volta de 200 mil contos, que, até agora, não começou a ser implementado, para o “desânimo” dos operadores.

Isso, numa altura em que a pesca nessa comunidade está em situação de abandono, com os operadores a enfrentarem “muitas dificuldades” a nível de conservação do pescado, alertou Isaías Pires, lembrando que Tarrafal dispõe apenas de uma máquina de gelo com capacidade de produção e pouco mais de 300 quilos.

Para uma zona piscatória com a importância do Tarrafal, com mais de 80 pescadores, as condições de conservação do pescado são “praticamente inexistentes”, segundo este responsável, que clama pelos investimentos prometidos pelo Governo para essa localidade, que além da pesca, possui muitas potencialidades agrícolas e turísticas.

O Governo, já por várias vezes, anunciou que Tarrafal e Monte Trigo, onde se situa um dos maiores bancos de pesca do arquipélago, beneficiaria, ao longo de 2019, de um pacote de investimentos na ordem dos 200 mil contos, abarcando, predominantemente, o sector das pescas.

A Associação dos Pescadores do Tarrafal diz-se “preocupada” com a   situação das pescas nessa localidade, onde a falta de infra-estruturas de apoio à actividade pesqueira, sobretudo a nível de tratamento e conservação do pescado, constitui uma das maiores preocupações.

“Precisamos e muito de melhores condições de conservação do pescado”, notou o líder associativo, que volta a alertar para “a situação difícil” em que se encontra a classe dos pescadores nessa zona, que aguarda, também, pelo prometido cais de pesca.

O Governo informou estar na fase de conclusão um estudo sobre que tipo de infra-estruturas de pescas Cabo Verde necessita, que está a ser elaborado pela Empresa de Administração dos Portos (Enapor), o qual contempla Tarrafal e Monte Trigo.

O estudo dará “indicações” ao Executivo sobre que tipo de infra-estruturas devem ser construídas, já a partir de 2020, para o apoio à actividade pesqueira nas diferentes comunidades.

Tarrafal e Monte Trigo estão entre as comunidades abrangidas por esse estudo, que dará informações sobre que tipo de infra-estruturas a instalar, “para facilitar o embarque de pessoas e do pescado”, explicou o secretário de Estado da Economia Marítima, Paulo Veiga, numa recente visita a Monte Trigo.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos