Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Porto Novo/Tarrafal: Pescadores desejam ver ultrapassados problemas na conservação do pescado em 2020

Porto Novo, 30 Dez (Inforpress) – A resolução dos problemas ligados ao tratamento e conservação do pescado constitui uma das aspirações dos pescadores do Tarrafal, no Porto Novo, Santo Antão, para 2020, segundo a associação de classe.

O presidente da Associação dos Pescadores do Tarrafal, Isaías Pires, destacou, à Inforpress, a melhoria das condições de tratamento e conservação do pescado como “a maior preocupação” da classe nessa comunidade piscatória, que clama pelos investimentos prometidos pelo Governo.

Os operadores de pesca do Tarrafal lembram que o Governo prometeu, para 2019, um projecto integrado para essa localidade, com enfoque nas pescas, à volta de 200 mil contos, que “nunca chegou a ser implementado”.

Para o líder associativo, a pesca nessa comunidade, que dispõe apenas de uma máquina de gelo com capacidade de produção de apenas 300 quilogramas/dia, está em “situação de abandono”, com os operadores a enfrentarem “muitas dificuldades” a nível de conservação do pescado.

O Governo, já por várias vezes, anunciou que Tarrafal e Monte Trigo, onde se situa um dos maiores bancos de pesca do arquipélago, beneficiariam, ao longo de 2019, de um pacote de investimentos na ordem dos 200 mil contos, abarcando, predominantemente, o sector das pescas.

Entretanto, em Monte Trigo,  os problemas ligados à conservação do pescado enfrentados há cerca de um ano pelos pescadores locais estão em vias de ser ultrapassados, graças ao projecto de reforço do acesso à energia sustentável na comunidade.

O projecto consiste na instalação de uma central solar foto voltaica de 15 kWp de potência na casa de gelo da zona piscatória, que vai, já em Janeiro, poder retomar a sua actividade, depois de ter estado encerrada há cerca de um ano, precisamente por dificuldades de energia eléctrica.

Essa unidade, que vinha produzindo 500 quilogramas de gelo/dia, está a ser dotada, igualmente, no quadro deste projecto, de mais uma máquina de produção de gelo, duplicando a sua capacidade de produção.

O projecto sobre o reforço do acesso à energia sustentável em Monte Trigo está a cargo da associação de desenvolvimento dessa aldeia, a Agripesca, sendo co-financiado do Fundo GEF/SGP das Nações Unidas e do Fundo do Turismo.

JM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos