Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Porto Novo/Tarrafal de Monte Trigo: Produtores do inhame têm ainda sonho de exportar para Santiago

Porto Novo, 01 Fev (Inforpress) – Os produtores do inhame (colocasia esculenta) do Tarrafal de Monte Trigo, no concelho do Porto Novo, Santo Antão, mantém o “sonho” de poder exportar o produto para a ilha de Santiago, por ser “um mercado muito competitivo”.

Alguns produtores, abordados pela Inforpress, continuam a manifestar o desejo de um dia poder colocar o inhame em Santiago, onde um quilograma deste produto pode chegar até 900 escudos.

Arlindo Fortes, um dos produtores, explica que, sem mercado, esta classe é obrigada a vender o inhame nos mercados de Santo Antão e São Vicente, onde o preço varia entre cem escudos e 150 escudos por quilograma.

Tarrafal de Monte Trigo é um dos vales agrícolas ainda livres da praga dos mil pés (illacme plenipes), que obrigou, em 1984, as autoridades cabo-verdianas a decretarem o embargo aos produtos agrícolas de Santo Antão, para suster a propagação da praga no arquipélago.

Os produtores do inhame acreditam que é possível encontrar uma forma de fazer chegar este produto a todo o mercado nacional, precisamente, pelo facto de Tarrafal de Monte Trigo estar livre desta praga.

Insistem, por isso, na necessidade de o Governo levantar, “parcialmente” o embargo aos produtores agrícolas de Santo Antão, para permitir o escoamento de excedentes das zonas ainda sem a praga dos mil-pés, como é o caso, também, dos vales de Martiene e Chã de Norte, ambos no Porto Novo.

O próprio delegado do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) no Porto Novo, Joel Barros, entende que o inhame e outros produtos agrícolas de Santo Antão têm “potencial” para competir em “grandes mercados nacionais”, mas os constrangimentos derivados do embargo têm sido “um entrave”.

O Governo afasta, para já, a hipótese de poder levantar o embargo para os produtores das localidades livres dos mil pés, prometendo retomar as investigações, no quadro da cooperação com a China, com vista a encontrar uma forma de combater esta praga, que terá chegado a Santo Antão nos princípios dos anos 70, tendo-se alastrado, praticamente, à toda a ilha.

Entretanto, o inhame pode passar a ser transformado, no quadro de um projecto, que está a iniciar-se, nesta altura, no Tarrafal de Monte Trigo, o qual, entre outras componentes, consiste na instalação de um centro de transformação.

Trata-se do projecto de reforço do cultivo do inhame no Tarrafal de Monte Trigo, financiado pelo MAA, que prevê ainda a construção de alguns reservatórios, criação de novas parcelas e instalação de rega gota-a-gota.

Saliente-se que Tarrafal de Monte Trigo é considerado um dos maiores produtores do inhame em Cabo Verde, com uma produção à volta de 700 toneladas por ano.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos