Porto Novo/Seca: Plano de criação de empregos e resiliência na ordem dos 37 mil contos deve arrancar em Janeiro

Porto Novo, 02 Jan (Inforpress) – O plano que visa a criação de empregos e resiliência nas comunidades, no Porto Novo, Santo Antão, estimado em 37 mil contos, deve arrancar já em Janeiro, para atender a “centenas” de famílias em “situação de vulnerabilidade”.

O plano, financiado, quase na totalidade, pelo Governo, está a ser aguardado pelas populações rurais, sobretudo nas zonas altas deste município, um dos mais afectados pelo terceiro ano de seca, onde estima-se que perto de 400 famílias precisam de emprego para garantir a sua subsistência.

As verbas para o financiamento desse plano estão previstas no orçamento da câmara do Porto Novo, que espera receber, já a partir deste mês, 36 mil contos do Tesouro para, designadamente, a criação de empregos nas comunidades rurais.

Associações de diferentes localidades têm estado alertar à edilidade portonovense para necessidade de acudir às famílias mais afectadas pela seca.

As autoridades locais admitem que esses três anos de seca têm sido “muito dolorosos” para as famílias no campo que depende da agricultura de sequeiro e da pecuária para garantir a sua sobrevivência.

Além deste plano, a edilidade portonovence espera ainda contar com a parceria da Cruz Vermelha de Cabo Verde na implementação de um programa ligado à segurança alimentar no município.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos