Porto Novo: São João Baptista merece ter uma basílica – sacerdote

 

Porto Novo, 20 Jun (Inforpress) – São João Baptista, santo padroeiro do Porto Novo, Santo Antão, merece ter uma basílica para acolher a multidão que, todos os anos, assiste, na ribeira da antiga igreja, às celebrações religiosas em honra ao santo, segundo o padre Ademário Delgado.

Ademário Delgado,  natural do Porto Novo, actualmente colocado na paróquia de São Francisco de Assis, em São Nicolau, onde exerce as funções de pároco, apresentou, segunda-feira, um trabalho académico sobre São João, em que defende a criação, em ribeira da antiga igreja, na cidade do Porto Novo, de uma basílica de São João.

Foi nessa ribeira que terá vivido, no século XIX, a Mãe Maia (Mê Maia), figura lendária ligada ao São João e onde se construiu, em 1905, a mais antiga igreja existente no Porto Novo, a capela de São João Baptista.

Este sacerdote propõe a criação nessa ribeira, onde se celebra, a 24 de Junho, a missa solene em honra ao santo padroeiro,  de uma basílica para receber os milhares de fiéis.

Ademário Delgado, que, curiosamente, foi ordenado padre, em 2010, precisamente na ribeira da antiga igreja, defende, pelo seu simbolismo, a preservação dessa ribeira, onde, na sua opinião, “estão as raízes” do concelho do Porto Novo.

Já em 2014, Ademário Delgado, durante a celebração da missa de São João, tinha proposto a criação nesse sitio de uma basílica reconhecida pela Santa Sé.

Ademário Delgado defende ainda que seja erguida no local uma estátua de “Mê Maia”, uma figura lendária do século 19, ligada a São João Baptista, que terá vivido, com uma imagem do santo, numa furna, na antiga ribeira da antiga igreja.

Em Ribeira da Igreja,  localiza-se a antiga capela de São João Baptista, a primeira igreja construída, há mais de um século, no concelho do Porto Novo, onde funciona, actualmente, o centro interpretativo das festas de São João.

Durante a sua apresentação, o padre falou da chegada da imagem de São João a Cabo Verde, que terá acontecido no século XVII, e referiu-se ainda à criação, em 1898, da paróquia do Porto Novo, com sede em Ribeira das Patas, interior do Porto Novo.

A sede da paróquia foi transferida, nos anos 60, para a cidade do Porto Novo.

Em 1898, aquando da criação da paróquia do Porto Novo, este concelho já tinha cinco mil romeiros e 300 tamboreiros, que asseguravam as festas de São João.

JM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos