Porto Novo recebe seminário internacional sobre alimentação e gestão sustentável de recursos no contexto das alterações climáticas

Porto Novo, 17 Nov (Inforpress) – O município do Porto Novo, em Santo Antão, receberá, entre os dias 07 e 08 de Dezembro, um seminário internacional sobre alimentação e gestão sustentável de recursos no contexto das alterações climáticas.

A iniciativa é da Associação para a Defesa do Património de Mértola, Portugal, e visa divulgar os resultados do projecto sobre sistema agro-florestais de Santo Antão e promover a partilha de experiências e reflexão sobre alimentação e gestão sustentável de recursos, no contexto das alterações climáticas.

Os seminaristas, segundo o programa a que a Inforpress teve acesso, terão ainda a possibilidade de visitar os campos experimentais instalados em Santo Antão, mais precisamente em Casa de Meio e no Planalto Leste, no quadro do projecto sobre sistemas agro-florestais.

Enquanto isso, o projecto sobre sistemas agro-florestais em Santo Antão está em destaque na vigésima sétima edição da Conferência sobre Mudanças Climáticas (COP27), que decorre no Egipto até esta sexta-feira,18.

O projecto, promovido pela Associação para a Defesa do Património de Mértola e que visa o combate às alterações climáticas em Santo Antão, está patente na sala dedicada à África Oeste, onde está exposto o trabalho que tem vindo a ser feito nas zonas de intervenção, quais sejam, os planaltos Norte e Leste e Casa de Meio.

Este projecto tem sido destacado por vários organismos pelo seu impacto no combate às alterações climáticas em Santo Antão.

A União Europeia, entidade financiadora do projecto, tem vindo a enaltecer o facto de o projecto sobre sistemas agro-florestais em Santo Antão permitir a adopção de técnicas agro-ecológicas inovadoras, a melhoria da disponibilidade de água para a agricultura e a formação de agricultores.

O projecto está a ser implementado em Casa do Meio e nos planaltos Norte e Leste de Santo Antão, onde foram instalados campos de experimentação de técnicas agro-ecológicas.

O projecto enquadra-se na iniciativa “Aliança Global de Combate às Alterações Climáticas + África Oeste” (GCCA + AO), financiada pela União Europeia.

JM/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos