Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Porto Novo: Produtores apostam cada vez mais na transformação para chegar a mercados nacionais e internacionais

Porto Novo, 28 Jun (Inforpress) – Produtores do concelho do Porto Novo, Santo Antão, têm estado a apostar, cada vez mais, na transformação de produtos agro-pecuários, que já conquistam mercados turísticos nacionais e podem, “num futuro próximo”, ser exportados para o estrangeiro.

Segundo os produtores locais, Porto Novo que tem grande potencial agrícola e pecuário está a assumir “um papel de relevo” em matéria de transformação agro-pecuária, sobretudo a nível de queijaria, doçaria e licores, produtos já “muito apreciados” nos mercados turísticos nacionais.

Os produtores, que têm marcado presença em vários eventos nacionais e internacionais, querem apostar, cada vez mais, na valorização e divulgação desse potencial com vista a explorar igualmente “nichos de mercados internacionais bem identificados”, conforme o produtor Jorge Silva.

Além de feiras agro-pecuárias em Cabo Verde, os produtos “made in Porto Novo”, marcaram presença no Fórum Mundial sobre o Desenvolvimento Local, em Outubro de 2017, na cidade da Praia, e num “stand” do Banco Africano de Exportação e Importação (Afreximbank), em Novembro, na ilha do Sal.

Além de doces, o grogue, que já está a ser exportado para Europa, e o queijo tradicional, com chancela de património mundial do gosto e com presença nos últimos anos na feira internacional do gosto, em Itália, foram “muito apreciados e adquiridos” em ambos os certames, lembrou o produtor.

“Isso demonstra que os nossos produtos, uma vez bem explorados e promovidos, podem conquistar importantes mercados turísticos internacionais”, acredita.

O queijo tradicional, produzido no Planalto Norte do Porto Novo, que conquistou, em 2017, prémio “Slow Cheese Award”, na feira internacional do gosto em Itália, vai marcar, uma vez mais, a presença nesse evento internacional, agendado para Setembro, segundo o produtor Irineu da Luz.

Segundo este produtor, a ideia é criar as condições para que este queijo, que está entre os melhores produzidos em África, chegue a mercados internacionais, designadamente em Itália, onde já é “muito apreciado”.

Na área de doçaria e licores existem no Porto Novo inúmeros projectos de transformação, últimos dos quais implementados no Planalto Leste pela Associação das Mulheres dessa localidade (Amupal), que está a aproveitar o grande potencial de que esse lugar dispõe em matéria de produção de frutas.

Amupal, que fez o lançamento dos seus produtos em meados deste mês de Junho, na feira agro-pecuária de Santo Antão, que se realizou no Porto Novo, tem na forja um outro projecto que consiste na produção do vinho no Planalto Leste, onde existe uma considerável produção de uvas, actualmente desaproveitada.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos