Porto Novo: Produção agrícola quase nula em Chã de Norte e agricultores pedem socorro ao Governo

 

Porto Novo, 28 Set (Inforpress) – A produção agrícola no vale de Chã de Norte, no Porto Novo, Santo Antão, é já considerada “quase nula” pelos 50 agricultores que esperam contar com apoio do Governo para minimizar a perda das suas culturas.

O sector de regadio em Chã de Norte, cuja produção tem servido, nos últimos anos, de sustento à quase toda a população, sofreu, nos últimos tempos, “um forte revés” devido a um problema técnico que afectou o sistema de bombagem do furo local, equipado com painéis solares.

O sistema fotovoltaico instalado nesse furo, em 2015, foi afectado por um problema no quadro eléctrico que reduziu, drasticamente, a capacidade de produção do furo, criando sobressaltos à actividade agrícola nessa zona, onde, praticamente, toda população (cera de 200 habitantes) vive da agricultura.

O furo, que antes produzia 100 metros cúbicos de água por dia, consegue, nesta altura, bombear somente 20 metros cúbicos diariamente, para o desespero dos agricultores, que já perderam, praticamente, toda produção, esperando agora pela “ajuda” do Governo para atenuar os “elevados prejuízos”.

Muitos agricultores começam a abandonar as suas parcelas por falta de água, segundo o representante dos lavadores, Ivanildo Dias, que clama por “uma solução urgente” para o problema do furo, que, adiantou, é a alma de Chã de Norte.

“No meu caso, as plantas já secaram”, lamentou hoje um dos 50 agricultores exercem a actividade agrícola em Chã Norte, com a distribuição, em posse útil, de parcelas por parte do Governo.

O Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) chegou, há cerca de três meses, a instalar uma nova bomba nesse furo para aumentar a capacidade de bombagem, mas o problema no sistema eléctrico, praticamente, acabou por paralisar o funcionamento desse furo.

Segundo o MAA, se trata de um problema que existe desde a instalação dos equipamentos, há dois anos, e que este ministério está a procurar resolver “o quanto antes possível” com a empresa que montou o sistema.

O MAA espera “em breve” resolver o problema para que a actividade agrícola em Chã de Norte, da qual depende o sustento de dezenas de famílias, retome a sua normalidade.

JM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos