Porto Novo: Pescadores aliviados depois de três meses de intempéries constantes no mar

Porto Novo, 03 Mai (Inforpress) – Os pescadores nas diferentes comunidades piscatórias no município do Porto Novo, em Santo Antão, dizem-se agora “aliviados”, depois de terem enfrentado, nos últimos meses, intempéries constantes no mar, que condicionaram a faina pesqueira.

Em Monte Trigo, a presidente da associação Agripesca, Rosa Miranda, informou que, nos últimos dias, a actividade pesqueira nesta zona decorre com “relativa normalidade”, com o fim do mar bravo, que vinha, nos últimos quatro meses, dificultando a vida aos pescadores.

“Nesses dias, a pesca tem decorrido com relativa normalidade em Monte Trigo, depois de vários meses de mar bravo”, sublinhou a responsável, lembrando que, desde Janeiro, os operadores de pesca nesta zona enfrentaram “muitas dificuldades” por causa das más condições do mar.

Também, no Tarrafal, os homens do mar têm conseguido “alguma captura” depois dos problemas dos últimos meses, explicou o representante da associação local dos pescadores, Carlos Pires.

A actividade pesqueira esteve, igualmente, condicionada, nos últimos meses, na cidade do Porto Novo, outra zona piscatória deste município, pondo em risco o sustento de “muitas famílias”, segundo a associação local dos pescadores.

Atlermiro Neves, líder desta associação, chegou a propor a atribuição de “um subsídio” aos pescadores, tendo em conta “a situação deveras complicada” verificada nos últimos meses, devido às intempéries constantes no mar.

Nesta altura, os operadores estão a respirar de alívio já que conseguem ir à faina com tranquilidade.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos