Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Porto Novo: Munícipes que frequentam passeio marítimo dizem incomodados com vazamento de esgotos

Porto Novo, 20 Jul (Inforpress) – As pessoas que, diariamente, frequentam o passeio marítimo, na orla marítima da cidade do Porto Novo, em Santo Antão, dizem-se incomodadas pelo cheiro nauseabundo provocado pelo vazamento de esgotos no mar, alertando para a resolução do problema.

As pessoas dizem que tem sido “insuportável” o cheiro dos esgotos que vazam em diferentes sítios da orla marítima da cidade do Porto Novo, criando um problema de saúde pública neste centro urbano.

“Tem sido muito complicado frequentar este local, com este cheiro insuportável. Já é hora de se resolver essa situação”, disse Manuel Santos, para quem esta situação está “a tirar brilho” ao passeio marítimo, inaugurado em Junho.

Ainda assim, inúmeras pessoas frequentam, sobretudo à noite, essa via pedonal, que se está a tornar no sítio mais visitado nesta urbe, a enfrentar, há vários anos, o problema de vazamento de esgotos no mar, como consequência da saturação da rede, já antiga.

Para Sabino Reis, outro frequentador deste espaço, antes de se pensar na requalificação da orla marítima, devia-se resolver o problema de esgotos que estão a poluir o mar nesta cidade, que, a seu ver, enfrenta nesta altura um problema ambiental que urge resolver.   

Munícipes preocupados com vazamento de esgotos no mar defendem “urgência” na resolução do problema

Os porto-novenses têm-se mostrado “preocupados” com o vazamento dos esgotos ao longo da orla marítima, defendendo “urgência” na implementação dos investimentos previstos no domínio do saneamento no município do Porto Novo.

“Parte da orla marítima foi requalificada, mas o vazamento dos esgotos continua a inquietar as pessoas que visitam esse local “, avançou Rosa Fortes, alertando para o problema de saúde pública provocado pelo despejo de águas sujas no mar.

Além do vazamento dos esgotos no mar, tem-se constatado rebentamento da rede em outros sítios da cidade, gerando uma situação de aflição no seio das pessoas.

A edilidade porto-novense reconhece que a cidade do Porto Novo vive “uma situação emergencial” em termos de gestão e tratamento dos resíduos líquidos, assegurando que os investimentos previstos no âmbito do projecto de água e saneamento de Santo Antão vão resolver, definitivamente, o problema.

O financiamento está garantido e as orientações que existem são de que os investimentos vão arrancar “o mais brevemente possível”, informou o edil do Porto Novo, que disse ter a “expectativa” de que as obras comecem “ainda no decorrer deste ano”.

Prevê-se no quadro deste projecto, estimado em 1,2 milhões de contos, a instalação de 20 quilómetros de rede e instalação de uma estação de tratamento de águas residuais (ETAR), além de 200 fossas sépticas.

JM/DR

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos