Porto Novo/Martiene: Produtores de batata comum decidem acondicionar o produto devido ao baixo preço no mercado

Porto Novo, 21 Mar (Inforpress) – O baixo preço da batata comum no mercado, à volta de 50 escudos/quilograma, está a obrigar os produtores agrícolas em Martiene, Porto Novo, Santo Antão, a acondicionar este produto, à espera que as condições do mercado melhorem.

O porta-voz dos produtores, Januário Cruz, explicou à Inforpress que a ideia é armazenar o produto até Julho ou Agosto, altura em que o mercado já poderá oferecer um preço que compense o esforço e os investimentos dos agricultores na produção deste tubérculo.

Nesta altura, nenhum produtor nessa zona, que está entre os maiores produtores da batata comum em Cabo Verde, com produção anual de um milhar de toneladas, está interessado em colocar o produto no mercado, já que “o preço está muito baixo”, avançou a mesma fonte.

Graças aos investimentos realizados na mobilização de água, Porto Novo registou, este ano, “uma boa produção” de batata comum, segundo os produtores, que se queixam, entretanto, dos constrangimentos ligados ao mercado, que cinge somente à ilha de São Vicente.

Para complicar ainda mais a situação, este mercado é já muito disputado pelos produtores das ilhas de São Nicolau e Santiago, pelo que, geralmente, os produtores porto-novenses são obrigados a vender, ao desbarato, os seus produtos em Santo Antão.

JM/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos