Porto Novo: Líderes comunitários pedem reabertura do emprego público para socorrer “centenas” de famílias afectadas pela seca

Porto Novo, 05 Nov (Inforpress) – A situação de seca que aflige Porto Novo, Santo Antão, está a preocupar os líderes comunitários, que defendem “a necessidade urgente” do Governo avançar com a reabertura do emprego público neste concelho, para socorrer as famílias mais afectadas.

Em Ribeira das Patas, as associações locais dizem-se “preocupadas” com a “situação social difícil” reinante nessa povoação por causa do mau ano agrícola e exortam a câmara e o Governo a criarem condições para a reabertura de algumas frentes de trabalho como forma de acudir às pessoas em maiores dificuldades.

É o caso de Lagoa da Ribeira das Patas, comunidade onde, segundo o líder da associação local, João Lima, as famílias, devido à seca, passam por “sérios problemas”, pelo que precisam ser socorridas com a abertura de postos de trabalho.

Por “dificuldades extremas” passam, igualmente, as populações das zonas altas, nomeadamente nos planaltos Norte e Leste, onde a seca estará a colocar em situação de vulnerabilidade mais de 300 famílias.

No Planalto Norte, a associação comunitária, através do seu presidente, António Lima, insiste na necessidade de o Governo apoiar, com “urgência” as famílias dessa localidade, cuja sobrevivência depende, basicamente, da pecuária.

A população local tem estado, também, a pedir a reabertura de frentes de trabalho, encerradas desde Julho.

As autoridades municipais admitem que Porto Novo passa por uma “situação preocupante”, alertando para o facto de mais de 500 famílias em todo o município, que dependem da criação de animais, estarem a ser afectadas pela seca.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos