Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Porto Novo: Líder do PAICV diz que famílias neste município passam por “situação económica e social dramática”

Porto Novo, 07 Set (Inforpress) – O primeiro secretário do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV, oposição), no Porto Novo, Santo Antão, alertou hoje para “o facto” de famílias, neste município, estarem a passar por uma “situação económica e social dramática”.

Jairson Tavares, que falava em conferência de imprensa, explicou que se trata de famílias sem quaisquer recursos e, por conseguinte, “sem condições para adquirirem materiais escolares para os seus filhos” no regresso às aulas.

“O que nos preocupa é o facto de termos famílias a passarem por situação económica e social dramática, agravada com o aproximar do arranque ano lectivo, sem condições para adquirir matérias escolares para os seus filhos”, notou.

O líder local do PAICV referiu-se ainda à “difícil situação económica” do município do Porto Novo, adiantando que “está à vista de todos um município estagnado”, com “uma dívida acumulada mais de 275 mil contos com a banca, sem adicionar os 160 mil contos de dívidas com a empresa de Águas do Porto Novo e demais fornecedores”.

“O próprio presidente, Aníbal Fonseca, assumiu a 02 Setembro, no dia do município do Porto Novo, que a situação económica do concelho é muito difícil, o que não é novidade para ninguém, uma vez que está à vista de todos um município estagnado, desde a reeleição da actual equipa camarária”, sublinhou.

Este responsável disse que se está perante “um dos municípios mais endividados do arquipélago”, mostrando-se “preocupado” com “o facto de haver famílias a passarem por situação económica e social dramática”.

Há “mais de sete meses” que a água não chega às torneiras das famílias em “vários bairros” da cidade do Porto Novo, lembrou Jairson Tavares, situação que, adiantou, se vai agravar com o “aumento das tarifas de electricidade, em 37%, para complicar a vida daqueles com menos capacidade económica”.

“Em vez de procurar soluções para minimizar o sofrimento das famílias em situações aflitivas”, o presidente da câmara está “preocupado mais em eleger o seu compadrio”, sublinhou o primeiro secretário do PAICV no Porto Novo, referindo-se a “uma equipa que esbanjava recursos nas campanhas eleitorais”.

Jairson Tavares acusou ainda a edilidade porto-novense de “violar, mais uma vez, o princípio da neutralidade e imparcialidade das entidades públicas” que, a seu ver, “devem manter-se, rigorosamente, neutras perante as diversas candidaturas”, à luz da lei eleitoral.

“O que se tem presenciado é um total descaso e um atentado à democracia cabo-verdiana, com figuras públicas a apoderar-se das suas posições e dos meios públicos, para tirarem benefícios eleitoralistas em prol de um determinado candidato às eleições presidências”, explicou.

Alertou, por isso, “aos munícipes a manterem-se firmes nas suas convicções, atentos à demagogia e ao jogo nebuloso por parte desses indivíduos, que não respeitam as leis e que exerçam o seu direito de voto de forma livre, colocando os interesses da colectividade acima dos interesses pessoais”.

Chamou atenção, igualmente, das “autoridades competentes”, designadamente, da Comissão Nacional de Eleições, para “a necessidade de ser proactivas, pondo cobro a esta situação em prol da lei e da democracia cabo-verdianas”.

JM/DR

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos