Porto Novo: Grupos de contradança apostados em não deixar “morrer” esta tradição cultural antiga

Porto Novo, 22 Mai (Inforpress) – Os grupos de contradança Nova Geração, da zona Sul do Porto Novo, e Lagoa Dance, da Ribeira das Patas, no interior deste município santantonense, dizem-se “apostados” em não deixar “morrer” esta tradição secular.

Ambos os grupos participaram no sábado, 21, no festival de música e danças tradicionais de Santo Antão, que se realizou no espaço da Aldeia Cultural, Porto Novo, numa iniciativa do activista cultural Zeferino Rodrigues, que contou com o apoio do Ministério da Cultura e Indústrias Criativas e da Câmara Municipal do Porto Novo.

Maria da Luz Barbosa, presidente da Nova Geração, fundada em 2008, explicou que este grupo, integrado, nomeadamente, por naturais da zona Sul do Porto Novo, tem como propósito “preservar e promover a contradança”, que “está a cair no esquecimento”.

O mesmo objectivo tem o grupo Lagoa Dance, que integra, sobretudo, jovens residentes em Lagoa da Ribeira das Patas que, segundo a representante, Imaculada Cruz, está apostado na preservação desta antiga manifestação cultural.

Os dois grupos de contradança deram “nota positiva” ao festival, que, segundo o promotor, vai continuar a ser realizado para manter a música e dança tradicionais, como mazurca, morna e contradança, que “estão a cair no desuso”.

O evento foi marcado ainda pela actuação da banda musical Young Talent e do cantor porto-novense Tuna.

A gastronomia esteve também em evidência durante o festival com pratos típicos e iguarias de Santo Antão como papa de milho com fregenode de porco, fongo terra terra, bandoi e milho em grão.

JM/AA

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos