Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Porto Novo: Falta de mercado, pragas e acesso ao crédito entre os “grandes constrangimentos” em Ribeira da Cruz – representante dos agricultores

Porto Novo, 11 Mai (Inforpress) – As dificuldades de acesso ao crédito e a falta de mercado constituem alguns dos “grandes constrangimentos” que afectam, actualmente, a actividade agrícola em Ribeira da Cruz, um dos principais vales agrícolas no Porto Novo, Santo Antão.

O alerta é do presidente da Associação dos Agricultores da localidade, Vanderley Rocha, que explica que os produtores agrícolas, tanto em Ribeira da Cruz, como de outros vales agrícolas do concelho, enfrentam, normalmente, sérias dificuldades para conseguir um crédito para incrementar a sua actividade.

“O acesso ao crédito é, de facto, um grande constrangimento”, sublinhou este responsável que referiu-se ainda à existência de pragas como sendo outra preocupação em Ribeira da Cruz, zona que se assume como “uma referência nacional” a nível do sector agrícola, pelas inovações introduzidas neste sector, pelos agricultores.

Os problemas de cesso ao mercado podem, dentro de pouco tempo, ser minimizados, graças à instalação de uma unidade de tratamento e embalagem dos produtos desta e das zonas vizinhas (Martiene, Chã de Norte, Jorge Luís e Chã de Branquinho), para o mercado turístico.

Essa unidade está já na fase final de montagem graças ao projecto integrado de agro-ecologia e comercialização participativa, co-financiados através do GEF (Global Environment Facility) que, segundo Vanderley Rocha, constitui “uma mais-valia” para a agricultura nessas localidades.

No quadro deste projecto, que está a ser implementado, há cerca de um ano, em parceria com o Centro de Estudos Rurais e Agrícolas Internacional (CERAI), em Espanha, e com o Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), os agricultores foram capacitados em agro-ecologia e começam a experimentar bio-pesticidas na actividade agrícola.

“É uma forma de desenvolvermos a nossa actividades em harmonia com o ambiente”, notou o presidente da Associação dos Agricultores da Ribeira da Cruz, acreditando que mais de 300 produtores vão poder, em breve, tratar e embalar os seus produtos nessa localidade e poder conquistar novos mercados.

A Associação dos Agricultores em Ribeira da Cruz, já com dez anos de existência, tem estado a trabalhar com os seus parceiros em projectos como mobilização e adução de agua para rega, modernização da actividade agrícola e comercialização dos excedentes.

JM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos