Porto Novo: Fábrica de queijo de Bolona encerrada há sete anos – criadores insistem no reaproveitamento dessa unidade

Porto Novo, 03 Nov (Inforpress) – Os criadores de gado do Planalto Norte do Porto Novo, Santo Antão, insistem no reaproveitamento da fábrica de queijo de Bolona, encerrada desde 2011, por alegadas dificuldades de funcionamento derivadas de constantes avarias.

A situação de abandono em que se encontra essa fábrica, instalada em 2002, no quadro da cooperação italiana, continua a preocupar os criadores do Planalto Norte, que consideram que essa unidade tem condições para apostar na produção de derivados de queijos, como requeijão e iogurtes.

Essa possibilidade foi já admitida pelos responsáveis dessa unidade, cuja situação deixa “inconformados” os criadores que têm estado a pedir “um novo rumo” para essa fábrica, que representou um investimento de mais de um milhão de euros, co-financiado pelo governo de Piemonte, Itália.

A fábrica de queijo de Bolona tem capacidade para produzir, diariamente,180 quilos de queijo, além de outros produtos, como requeijão.

Desde o encerramento dessa unidade, a produção do queijo no Planalto Norte do Porto Novo tem vindo a ser assegurada por um grupo de 30 criadores de gado, que têm sido apoiados pela cooperação italiana com formação, utensílios de fabrico, equipamentos de frio, de entre outros apoios.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos