Porto Novo: Deputado do MpD garante que “o gado está salvo e nutrido”, graças aos apoios do Governo e autarquia

Porto Novo, 29 Abr (Inforpress) – O deputado do Movimento para a Democracia (MpD, poder), Damião Medina, garante que o efectivo pecuário no Porto Novo, Santo Antão, está “salvo, bonito e nutrido”, graças ao “esforço” dos criadores e aos “apoios” do Governo e edilidade.

Este parlamentar contradiz, assim, as declarações de vários criadores no Planalto Leste e dos deputados nacionais da oposição, de que os animais estão a morrer nas zonas altas, as mais afectadas pela seca que fustiga, pelo segundo ano consecutivo, o concelho do Porto Novo.

Damião Medina diz que, nos contactos efectuados com os criadores e com as populações, pôde constatar que a classe, graças aos apoios de que tem sido alvo, no quadro do plano de mitigação da seca, tem conseguido manter os seus animais.

“Os criadores compram a ração com 20 por cento (%) de desconto, com recurso aos vales cheques disponibilizados pelo Governo, e a Câmara Municipal do Porto Novo paga o transporte da ração, ficando o custo mais barato”, explicou este deputado.

Admite que a população passa por “algumas dificuldades normais por causa de dois anos de seca severa”, mas, a seu ver, o Governo e a edilidade têm feito “o possível para dar assistências necessárias” às comunidades mais assoladas.

Quanto ao abastecimento de água, Damião Medina explica que a delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente no Porto Novo tem estado a auto-transportar água, a metade do preço, para o gado em vários pontos do concelho.

“O Governo disponibilizou 36 mil contos à câmara para a promoção de 400 postos de trabalho nas comunidades mais exigentes. As frentes de trabalho estão a funcionar na normalidade, com salários em dia”, esclarece ainda este parlamentar.

Em relação ao Planalto Leste, Damião Medina avança que em Lagoa e Companhia, comunidades, também, muito afectadas pela seca, o Governo, através do Fundo do Ambiente, assinou um contrato com a associação local, no valor de quatro mil contos para a manutenção florestal.

Trata-se, adianta, de acções que promovem “dezenas” de postos de trabalho nessas zonas, onde existem, nesta altura, mais de 60 postos de trabalho a cargo da Câmara Municipal da Ribeira Grande.

O presidente da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID), António Monteiro, também deputado nacional, já por algumas vezes, pediu ao Governo que declare os planaltos Norte e Leste do Porto Novo “zonas de calamidade”, dada a situação de seca que enfrentam.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos