Porto Novo: Boa colheita de feijões compensa nula produção do milho – lavradores

Porto Novo, 28 Jan (Inforpress) – Os agricultores no concelho do Porto Novo, depois de três anos de seca severa, têm a expectativa em conseguir, este ano, “uma boa colheita de feijões” que possa compensar a “nula produção” do milho.

Na Ribeira da Cruz, os agricultores fazem balanço ao ano agrícola a nível de sequeiro, marcado, segundo o lavrador Nuno Rocha, pela “boa produção de feijões branco e fava”, facto que deixa animadas as famílias que já conseguem algum rendimento.

Ao contrário de feijões,  o cultivo do milho nessa localidade foi dizimado pela praga de lagarta do cartucho do milho, que já prolifera por todo o concelho do Porto Novo, avançou este agricultor.

Também em Alto Mira, a produção de feijões está a ser “muito boa” segundo os agricultores que, à semelhança do que acontece no resto do município, lamentam o facto de a praga da lagarta do cartucho do milho ter destruído toda a cultura do milho, nesse vale.

O presidente da Associação dos Agricultores de Alto Mira, Ederlino Fortes, informou que os lavradores locais preparam-se para realizar, este ano, uma “boa colheita” de feijões fava e ervilha que acaba por compensar, de alguma forma, a nula produção do milho.

No Planalto Leste, mais precisamente em Lagoa, os camponeses estão animados com a possibilidade de conseguir “uma produção favorável” de feijões, caso o tempo assim o permita, segundo o representante da classe, Aristides Morais.

“Se o tempo permitir, é possível que as pessoas consigam uma boa produção de feijões”, sublinhou a mesma fonte, que fala, também, numa nula produção do milho nessa zona, por causa de pragas.

No Planalto Norte, o representante dos camponeses, Marciano Guilherme, mostra-se, igualmente, optimista em relação à produção de feijões, sobretudo da ervilha.

Na Ribeira das Patas, o representante dos agricultores, Arlindo Delgado, informou que há esperança numa “produção razoável” de feijões, mas que relativamente ao milho, esta cultura foi, também, destruída pela lagarta do cartucho do milho.

Henrique da Luz, agricultor, residente na Ribeira dos Bodes, referiu-se, também, à possibilidade de os lavradores locais poderem obter alguma colheita de feijões, sobretudo em Covoada.

JM/HF

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos