Porto Novo: Autarcas dizem que terminal de cruzeiros de São Vicente terá impacto no destino Santo Antão 

Porto Novo, 02 Mai (Inforpress) – As autoridades municipais no Porto Novo acreditam que o terminal de cruzeiros do Mindelo, projecto já em fase de implementação, vai contribuir para o “desenvolvimento do destino” nas ilhas de São Vicente e Santo Antão.

Esta conclusão surge depois de Porto Novo ter recebido, nos últimos dias, sessões públicas de apresentação do projecto que, de acordo com uma nota da câmara, tem como um dos objetivos o desenvolvimento do destino nas ilhas de São Vicente e Santo Antão.

As sessões públicas, que contaram com a presença do presidente da Câmara Municipal do Porto Novo, Aníbal Fonseca, tiveram como finalidade “demonstrar uma relação de proximidade” do projeto com a sociedade, permitindo também recolher comentários e sugestões sobre esta infra-estrutura turística, dimensionada para servir também Santo Antão.  

Os operadores turísticos em Santo Antão acreditam, igualmente, que o porto do Porto Novo poderá funcionar como “um complemento” do terminal de cruzeiros do Mindelo.

Uma vez ampliado, este porto pode passar a receber navios de grande porte, segundo os operadores, que têm sugerido ao Governo para, no âmbito do programa de investimentos para Santo Antão, “priorizar” a extensão do porto.

A própria Associação de Turismo de Santo Antão tem insistido, também, na necessidade de se alargar o referido porto “por forma a complementar o futuro terminal de cruzeiros do Mindelo, tornando-o “mais versátil”, capaz de receber, além de cruzeiros, também iates e veleiros.

O Governo já admitiu, através do vice-primeiro-ministro, que Porto Novo poderá passar a receber até 20 por cento (%) dos navios que aportem o terminal de São Vicente.

Os operadores turísticos pediram ao Presidente da República, durante a sua recente visita a Santo Antão, para exercer a sua “influência de magistratura” no sentido de levar o Governo a apostar no alargamento do porto, que possui dois cais de 136 e 118 metros de comprimento com rampa roll on roll off e um cais de pesca.

Os estudos sobre a ampliação do porto, apresentados pelo Governo em 2021, estimam um investimento à volta de 39 milhões de euros numa infra-estrutura portuária capaz de receber, em simultâneo, dois navios de cabotagem e um navio de cruzeiro de 200 metros de comprimento.

JM/AA

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos