Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Porto Novo: Associações de pescadores defendem investimentos na formação e flexibilidade no financiamento em 2022

Porto Novo, 13 Jan (Inforpress) – As associações de pescadores no município do Porto Novo destacam a formação dos operadores de pesca como sendo “um dos propósitos” para este ano de 2022, em que deve haver “forte aposta” na capacidade da classe.

Os representantes das associações locais de pescadores, além de formação nas “áreas prioritárias e estratégicas”, defendem ainda a “flexibilização do financiamento” dos projectos dos operadores para que o sector das pescas, sobretudo, o sub-sector semi-industrial, continue a crescer neste concelho.    

O presidente da associação da cidade do Porto Novo, Atlermiro Neves, reconhece que a pesca semi-industrial tem crescido em Santo Antão, mas “este crescimento deve ser sustentável”, sendo necessário, para tal, a simplificação do sistema de financiamento e “uma forte aposta nas formações estratégicas e prioritárias”.

Sugere, por isso, formações em mestre de pesca, motoristas, marinheiros, pescadores, confecção e manutenção de redes, manutenção e reparação de motores, considerando que a “vitalidade” da pesca semi-industrial, dependerá “em parte” da capacitação técnica dos operadores.

A Associação dos Pescadores do Tarrafal de Monte Trigo defende, também, investimentos na formação da classe, mas, também, na melhoria das infra-estruturas de apoio à actividade pesqueira, sugerindo, igualmente, a flexibilização do mecanismo de financiamento das iniciativas dos operadores.

O líder associativo, Isaías Pires, lembra que “há anos” que a associação dos pescadores desta comunidade piscatória procura, sem sucesso, o financiamento de uma embarcação de pesca semi-industrial, por causa das exigências das instituições financeiras.  

Estes responsáveis destacam o impacto da pesca semi-industrial na economia do município do Porto Novo, pelo volume de empregos que cria e pelo rendimento que proporciona às 300 famílias que vivem, directa ou indiretamente, deste sector.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos