Porto Novo: Associação pede continuação das acções de valorização do Parque Natural de Tope Coroa

Porto Novo, 24 Nov (Inforpress) – O presidente da Associação Luz Verde do Norte, António Lima, defendeu hoje a necessidade de se prosseguir com as acções de valorização do Parque Natural de Tope de Coroa, no Planalto Norte do Porto Novo, Santo Antão.

Este parque, criado em 2003, mas que só começou a ser implementado em 2018,  já foi alvo de algumas intervenções, que, até agora, incidiram na construção de um muro de protecção, mas a Associação Luz Verde do Norte defende a continuidade das acções com vista à valorização dessa área protegida.

António Lima alerta para o facto de  as espécies de plantas endémicas no Tope de Coroa estarem a desaparecer, razão pela qual deve-se continuar, proseguiu, a investir nesse parque natural, com uma área de 8.491 hectares de extensão, para inverter a situação, propondo, nesta fase, a realização de acções ligadas à produção de plantas e reflorestação.

De acordo com um levantamento feito no âmbito do projecto de consolidação do sistemas de áreas protegidas de Santo Antão, o Parque Natural Tope de Coroa, aquando da sua criação, há 17 anos, dispunha de 21 espécies de plantas endémicas, que estão a desaparecer devido à invasão dos animais.

Segundo este responsável, a conservação da biodiversidade no parque natural de Tope de Coroa tem sido uma preocupação dessa associação, que deseja continuar a trabalhar com o Ministério da Agricultura e Ambiente, na conservação do parque natural.

É neste parque que se situa a maior elevação de Santo Antão, o vulcão do Tope de Coroa, com 1.979 metros de altitude, uma das sete maravilhas naturais de Santo Antão.

JM/AA

Inforpress/Fim

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos