Porto Novo/Assembleia Municipal: Questão das “dívidas elevadas” da edilidade marca período destinado aos municípios

Porto Novo, 07 Mai (Inforpress) – As “dívidas elevadas” da edilidade porto-novense foi uma das questões que marcaram o período destinado ao público na sessão da Assembleia Municipal do Porto Novo, Santo Antão, que está a decorrer hoje no salão nobre da autarquia.

O edil porto-novense, Aníbal Fonseca, em resposta à preocupação levantada, admitiu que as dívidas municipais são, efectivamente, “elevadas”, sem contudo especificar o valor, justificando que “os grandes investimentos” realizados no município a partir de 2009, acabaram por endividar o município.

São os casos, por exemplo, do edifício de Paços do Concelho, inaugurado em 2011, do Estádio Municipal, construído em 2009 e do centro comercial, que foi inaugurado em 2015, infra-estruturas que não contaram com a parceria do Governo, ao contrário do que acontecem em outros concelhos.

Para a edificação destas obras, a autarquia teve que recorrer à banca, o que acabou por envidar o município, cujo montante da dívida ultrapassava os 340 mil contos em 2021, altura em que Porto Novo estava entre os municípios mais endividados de Cabo Verde.

A situação financeira “difícil” por que passa Porto Novo tem impedido, admitiu ainda, a câmara municipal de realizar investimentos considerados “necessários” para atender às preocupações dos munícipes.

A dívida pública do município do Porto Novo resulta de empréstimos bancários, de médio e longo prazos, destinados a investimentos acumulados nos últimos 13 anos.

O mapa sobre o resumo da dívida municipal referente a 2021 mostra que a autarquia porto-novense começou a envidar-se a partir de 2009, quando teve a necessidade de recorrer à banca para construir o edifício dos paços do concelho, o Estádio Municipal e o centro comercial.

JM/JMV

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos