Porto Novo/Ano agrícola: Produção do milho dada como nula pelos agricultores

Porto Novo, 27 Out (Inforpress) – Os agricultores do Porto Novo já deram como “nula” a produção do milho neste concelho, situação que se deve, no entender da classe, ao alastramento da praga da lagarta do cartucho do milho.

Nas zonas Norte e Sul, apesar das chuvas significativas registadas em Setembro, no município do Porto Novo, os agricultores abandonaram a actividade agrícola de sequeiro devido à acção da lagarta do cartucho do milho, que ataca esta cultura em todas as fases de crescimento.

Na zona Norte, o agricultor Manuel Lima confirmou à Inforpress que os agricultores sequer concluíram os trabalhos de monda, dada à invasão desta praga, que destruiu toda a cultura do milho nessa região, para “o desânimo das famílias que gastaram toda a sua economia nas sementeiras”.

Situação idêntica verificou-se na zona Sul do Porto Novo, onde, segundo o agricultor Carlos da Luz, os camponeses já perderam toda a plantação do milho.

Também, em Ribeira das Patas, a cultura do milho é considerada “nula” pelo representante dos agricultores, Arlindo Delgado, que adiantou, porém, que os lavradores estão a apostar no cultivo de batatas e abóbora como alternativa ao milho.

Em Ribeira Fria, o porta-voz dos agricultores, Adilson Gomes, explicou que, à semelhança das outras regiões do município do Porto Novo, a cultura do milho é dada como perdida nesse vale por causa da praga da lagarta do cartucho do milho.

Em Alto Mira, os lavradores estão a enfrentar a mesma situação, segundo o presidente da associação da classe, Iderlino Fortes.

Técnicos do Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA) estiveram, em Setembro, no Porto Novo, onde procedeeram ao lançamento do inimigo natural da lagarta do cartucho do milho, trichogramma, mas os agricultores têm manifestado dúvidas quanto à eficácia desta medida.

JM/HF

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos