Porto Novo: MAA tem em marcha campanha agrícola 2022 com a questão de pragas em agenda

Porto Novo, 12 Mai (Inforpress) – A delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) no concelho do Porto Novo, em Santo Antão, tem em marcha a campanha agrícola para 2022, com enfoque na problemática das pragas na agricultura de sequeiro.

O delegado deste ministério, Joel Barros, avançou à Inforpress que a preparação da campanha agrícola começou agora nos princípios de Maio, com a questão de pragas em agenda, designadamente na agricultura de sequeiro, com foco na praga de gafanhotos.

A propósito da denúncia do deputado do Movimento para a Democracia (MpD), Damião Medina, sobre a existência de praga na cultura de tomate na zona baixa do Porto Novo (Ribeira Fria, Ribeira dos Bodes, Casa de Meio e zona periférica da cidade) Joel Barros explicou que o MAA tem estado a prestar assistência técnica aos agricultores, a quem cabe a responsabilidade de combater a praga em causa.

Aliás, para o sector de regadio, a actuação do MAA incide na assistência técnica aos lavradores, explicou este responsável, adiantando que, no caso concreto da traça do tomateiro na Ribeira dos Bodes e Ribeira Fria, os técnicos têm prestado auxílio aos produtores, que têm estado a utilizar “armadilhas” no combate à praga.

Existe no mercado um produto para eliminar esta praga, também conhecida por “tuta absoluta” detectada no Porto Novo há cerca de duas décadas, mas, por ser “muito caro” no mercado, os agricultores não têm conseguido adquiri-lo.

Por isso, recorrem a armadilha, com o apoio dos técnicos, mas este método tem-se revelado “pouco eficaz”, segundo o delegado do MAA no Porto Novo, que explicou que, no caso da agricultura de sequeiro, existe o cuidado, sobretudo, com gafanhotos.

A nível de regadio, o MAA tem assumido o seu “papel”, ou seja, tem estado a prestar a assistência técnica aos agricultores, notou, esclarecendo ainda que, em relação ao sequeiro, este ministério tem feito aquilo que é a sua “obrigação” ou seja, a preparação de iscos para o combate a gafanhotos que, geralmente, ataca culturas quando chove.

JM/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos