Porto Novo acolhe apresentação de “O Megafone do Poder” em cerimónia presidida por Jorge Santos

 

Cidade da Praia, 17 Ago (Inforpress) – O presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos, preside hoje na cidade do Porto Novo, ilha de Santo Antão, à cerimónia de apresentação do livro “O Megafone do Poder”, do jornalista Carlos Santos.

A apresentação da obra “O Megafone do Poder” será feita pelo jornalista e director da Radio Morabeza, Nuno Ferreira, no Salão Nobre da Câmara Municipal do Porto Novo, às 17:00, segundo uma nota da Assembleia Nacional enviada à Inforpress.

No evento, que, perspectiva a fonte, deverá contar com a presença de autoridades municipais dos três concelhos, jornalistas, políticos, estudantes e segmentos da sociedade civil da ilha, o presidente da Casa Parlamentar irá discorrer sobre a problemática da aproximação do Parlamento com a sociedade.

Trata-se, de acordo com a nota, de um tema que tem merecido “especial atenção” dos parlamentares, assumindo-se como “eixo fundamental” da reforma do Parlamento em curso.

Recorda igualmente que este evento acontece dias depois, de Jorge Santos ter participado na IX Conferência dos Presidentes dos Parlamentos Africanos, que se realizou em Johannesburg, África do Sul.

Por outro lado, em declarações à Inforpress, o autor explicou que o “O Megafone do Poder” não é um livro de investigação científica e nem académico, mas um conjunto de textos de reflexões que tem vindo a fazer sobre a comunicação social em Cabo Verde, com ênfase na sua evolução e desafios, desde 2003 até 2015.

Informou ainda que o livro está dividido em três capítulos: no primeiro, mais genérico, aborda as questões ligadas às políticas para a comunicação social, regulação, governação e serviço público.

No segundo capítulo, o autor conta que faz um “mergulho” na história da radiodifusão em Cabo Verde e os seus desafios, que, segundo o jornalista, passa pela sua digitalização, abordando, também, a televisão numa perspectiva histórica, ou seja, desde os pioneiros, a Televisão Experimental de Cabo Verde (TEVEC) , a Televisão Nacional de Cabo Verde (TNCV), até à actualidade.

Já no terceiro capítulo, o autor diz que traz mais comunicações, ou seja, textos que serviram de base às suas comunicações apresentadas em vários fóruns, para além da “recuperação” da personagem de uma aluna do curso de Comunicação que lhe põe várias perguntas e que neste diálogo vai respondendo às suas preocupações sobre os desafios que se colocam à comunicação social em Cabo Verde.

O livro com mais de 200 páginas, esclareceu Carlos Santos, fala sobre o sector da comunicação social em si, em vários domínios, desde a imprensa escrita, passando pela rádio, televisão e os online.

Carlos Santos é jornalista e actual gestor da Agência Cabo-verdiana de Notícias – Inforpress.

Em 2016, venceu Prémio Nacional de Jornalismo, na categoria Rádio, com uma reportagem sobre o alcoolismo em Cabo Verde e no mesmo ano foi vencedor, na categoria Rádio, da II edição do Somos Cabo Verde.

O jornalista, que participou na colectânea as Ciências da Comunicação em Cabo Verde com um capítulo dedicado à historia da radiodifusão de 1945 a 1974, almeja no futuro lançar um livro sobre a historia da Rádio em Cabo Verde.

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos