Ponto focal da ONU- Habitat satisfeita com resultados do workshop sobre Especialização Económica das Ilhas

Santa Maria, 29 Abr (Inforpress) – A ponto focal da ONU- Habitat em Cabo Verde, Jeiza Barbosa, manifestou-se hoje satisfeita com os resultados do workshop sobre validação do Perfil de Especialização Económica das Ilhas, cujo relatório final irá ser submetido às entidades promotoras do exercício.

“Do exercício todo irá sair um relatório que irá ser considerado na elaboração do próximo plano estratégico de desenvolvimento sustentável de Cabo Verde, mas também será um elemento fundamental para a implementação da política de coesão territorial de Cabo Verde”, alvitrou Jeiza Barbosa no fim dos trabalhos deste workshop que decorreu durante dois dias no Sal, e terminado esta tarde.

Em declarações à imprensa, explicou que os participantes tiveram a oportunidade de discutir, apreciar e validar o levantamento feito em termos das potencialidades dos municípios e das ilhas, mas também a todas as relações socioeconómicas e funções existentes no território.

“Portanto, foi um diagnóstico feito através dessa metodologia do quadro do desenvolvimento espacial com um olhar a partir do território municipal e que permitiu, hoje, estabelecer uma ampla discussão à volta do perfil de Especialização Económica das Ilhas”, sublinhou.

Jeiza Barbosa clarificou que essa abordagem aconteceu olhando o desenvolvimento a partir de uma rede complementar entre as várias potencialidades e as várias capacidades de especialização económica de cada uma das ilhas, enquanto território.

Ao fazer o balanço dos trabalhos disse que as actividades que se destacaram, neste âmbito, são as relacionadas ao sector da agricultura, pecuária, turismo e da cultura.

“Mas também, nas discussões ficou clara a necessidade do desenvolvimento de funções e actividades complementares e que são transversais às várias áreas económicas aqui discutidas como sendo o transporte, a questão da água, energia e do saneamento”, ajuntou a responsável.

No que respeita ao Sal, concretamente, revelou que além do turismo, considerado a principal actividade económica, a cultura foi identificada como o sector escape, sem descurar as outras áreas ou sectores e actividades associadas que podem ser complementares a esses sectores principais.

Este seminário é realizado pelo Governo através do Ministério da Coesão Territorial e do Ministério das Finanças e do Fomento Empresarial, com o apoio técnico da ONU-Habitat.

É um dos três momentos do Exercício para a Definição do Perfil de Especialização Económica das Ilhas, que se realiza no quadro da preparação do novo Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS II) e da conceção da Política Nacional de Coesão Territorial.

Nele participaram vereadores e representantes de diferentes municípios do País, ONG, instituições e forças vivas locais.

SC/JMV
Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos