Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Polícia Judiciária realizou de 2015 até primeiro trimestre de 2019 cerca de 300 detenções por tráfico de drogas

Cidade da Praia, 10 Jul (Inforpress) – A Polícia Judiciária (PJ) realizou de 2015 até ao primeiro trimestre de 2019 cerca de 300 detenções por tráfico de drogas, segundo dados apresentado hoje pela ministra da Justiça e do Trabalho, Janine Lélis.

A governante, que falava durante a reunião temática de mobilização de parceria para a operacionalização do Programa Nacional Integrado de Luta Contra Droga e Crimes Conexos em Cabo Verde (PNLCDCC 2018-2023), falou também da quantidade de drogas apreendidas de 2015 a 2018.

Conforme precisou durante esse período foram aprendidas cerca de nove toneladas de Cannabis e 10,5 toneladas de cocaína, quantidade, entretanto, próxima à cifra apreendida só em Janeiro de 2019, durante a operação ESER em que foram confiscados 9.570 quilogramas de cocaína.

Janine Lélis citou também o relatório sobre a criminalidade na África Ocidental que aponta a sub-região oeste africana, onde se encontra Cabo Verde, como uma região muito vulnerável ao tráfico de drogas e a criminalidade transaccional,sendo um dos pontos importantes de trânsito de cocaína e heroína e bem assim e laboratório para produção dos demais.

Situações que na perspectiva da ministra demonstram a vulnerabilidade de Cabo Verde e a necessidade de se adoptar estratégias para um combate forte e esses fenómenos criminais.

“A posição privilegiada de Cabo Verde serve para o bem e serve pelo mal razão pela qual o país é interpelado a ter uma concepção política e estratégica para poder responder aos desafios que se lhe colocam, razão pela qual hoje estamos aqui convosco para partilhar esta preocupação e para juntos podermos construir as soluções que nós precisamos ter para podermos dar respostas eficazes e efectivas”, disse.

A ministra salientou que tais desafios impõem uma resposta que seja integrada e sistemática, devendo contemplar uma vertente de repressão da procura de drogas, uma vertente de prevenção e ainda as vertentes de cuidados, tratamento e reinserção social de toxicodependentes.

O PNLCDCC 2018-2023, indicou, prevê diversas áreas de intervenção, nomeadamente a melhoria da capacidade de comunicação e articulação da Comissão de Coordenação do Combate ao Álcool e outras Drogas (CCAD), a capacitação dos diversos intervenientes em matéria de drogas e crimes, o envolvimento da família e da sociedade civil e acções de prevenção e combate às drogas e crimes e o aperfeiçoamento do quadro legal.

Neste sentido indicou que foram concebidos vários programas sectoriais, que precisam agora de recursos para sua operacionalização.

Daí a realização desse encontro no sentido de sensibilizar os parceiros para o seu financiamento. O programa está orçado em 7,2 milhões de euros, aproximadamente 792 mil contos.

Participam desse encontro, realizado em parceira com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (ONUDC), representantes das organizações internacionais com representação em Cabo Verde e do corpo diplomático.

MJB/ZS

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos