Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Polícia Judiciária detém agente da PN suspeito da morte de colega na Cidade da Praia

Cidade da Praia, 22 Nov (Inforpress) – A Polícia Judiciária (PJ) deteve hoje um agente da Polícia Nacional (PN) suspeito de ter assassinado o colega Hamilton Morais em Outubro último, no bairro de Tira Chapéu, na Cidade da Praia.

Segundo informações avançadas pela PJ, o agente em causa, 37 anos, foi detido em cumprimento de um mandado de detenção do Ministério Público e deverá ser este sábado, 23, apresentado ao Tribunal da Comarca da Praia.

Por volta das 00:15 do dia 29 de Outubro, uma terça-feira, o Serviço de Piquete foi chamado, através do Centro de Comando, para intervir junto de dois indivíduos que se encontravam armados e em situação muito suspeita na zona de Tira Chapéu, na Praia.

“No local, ao se aperceberem da presença policial, os suspeitos puseram-se em fuga e, imediatamente, foram perseguidos, resultando dali disparo de armas de fogo, que terá atingido o agente de primeira classe Hamilton Morais, que foi socorrido imediatamente pelos colegas e transportado para o Hospital Agostinho Neto, onde viria a falecer, momentos depois, referiu na altura a PN em comunicado.

Chegou a ser capturado um indivíduo suspeito, mas este veio a ser liberado pela Polícia Judiciária, por não haver provas que este seria o autor do crime.

O agente Hamilton era, segundo a PN, um profissional “exemplar, dedicado e muito querido” pelos seus colegas e amigos.

Estava na corporação havia 16 anos, tendo trabalhado na ilha da Brava e na Praia.

A Polícia Nacional lamentou profundamente a perda deste colega e “excelente profissional” que foi o agente Hamilton Morais e endereçou à família enlutada as mais sentidas condolências.

O ministro da Administração Interna, Paulo Rocha, reagiu, a este caso com muita “consternação e preocupação”.

A família do policial, por sua vez, encontra-se revoltada e a pedir que se faça justiça.

GSF/CP

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos