Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Poeta cabo-verdiano José Luís Tavares integra júri do Prémio Camões 2017

 

Cidade da Praia, 02 Jun (Inforpress) – O poeta cabo-verdiano José Luís Tavares integra o júri do Prémio Camões 2017 e vai estar no Rio de Janeiro, Brasil, dia 08, para a escolha do vencedor da edição deste ano do galardão.

A notícia foi confirmada à Inforpress pelo próprio poeta, a partir de Lisboa, Portugal, onde reside há quase 30 anos.

Os nomes que compõem o júri da edição 2017 do Prémio Camões, instituído pelos governos do Brasil e de Portugal, em 1988, foram definidos pela Fundação Biblioteca Nacional do Brasil e a Secretaria de Estado da Cultura de Portugal.

De acordo com o regulamento do concurso, a comissão que vai escolher o vencedor do prémio é composta por seis membros, dois de Portugal, dois do Brasil e dois membros dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).

A parte brasileira é integrada este ano por Leyla Perrone Moisés e José Luís Jobim, sendo que Maria João Reynaud e Paula Morão foram indicadas pela parte portuguesa.

O moçambicano Lourenço do Rosário e o cabo-verdiano José Luís Tavares representam os PALOP.

Em declarações à Inforpress, José Luís Tavares afirmou que recebeu o convite com “naturalidade”, dada a “crescente atenção” que a sua obra vem granjeando no Brasil, sobretudo fora dos “circuitos africanistas”.

“Que o convite tenha partido do Brasil, também não é de estranhar, pois é dos países onde tenho sido mais premiado e onde, no ano passado, publiquei a minha obra mais ambiciosa, “Contrabando de Cinzas”, uma súmula de toda a minha poesia édita e inédita, que será apresentada por estes dias em Cabo Verde”, adiantou o mais premiado autor cabo-verdiano.

O Prémio Camões, considerado “o mais importante” galardão literário destinado a autores da língua portuguesa pelo conjunto da sua obra, foi instituído em 1988 e tem como objectivo consagrar anualmente um autor de língua portuguesa que, pelo valor intrínseco de sua obra, tenha contribuído para o enriquecimento do património literário e cultural da língua comum.

Arménio Vieira, distinguido com o galardão na edição 2009, é o único cabo-verdiano a receber o Prémio Camões até este momento.

JMV/ZS

Inforpress/fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos