PN prepara instalação da Direcçao de Investigação Criminal e ministra formação em metodologia de investigação

Cidade da Praia, 15 Abr (Inforpress) –  Mais de três dezenas de efectivos da Polícia Nacional (PN) iniciaram hoje, na Cidade da Praia, uma formação em metodologia de investigação criminal ministrada por especialistas nacionais e dos EUA, Portugal e Brasil.

Esta formação, de acordo com o director nacional da PN, Estaline Moreno, enquadra-se num conjunto de outras medidas em curso, consideradas estratégicas, visando a instalação da Direcção de Investigação Criminal.

Conforme explicou, esse departamento orgânico da PN será responsável pela direcção e coordenação de toda e qualquer estratégia de investigação criminal que possa ser delineada pela Direcçao Nacional da PN face às preocupações e prioridades da política criminal do país.

“Irá, com certeza, melhorar a capacidade de resposta aos desafios do dia-a-dia, e visa essencialmente reforçar a capacidade técnica endógena de investigação criminal para uma melhor e uma mais efectiva cooperação a nível da investigação criminal a nível nacional e internacional”, sustentou.

Estaline Moreno acredita que com mais esta acção, entre tantas outras programadas com o intuito final de garantir melhor segurança às populações no enfrentamento da criminalidade, a PN estará a melhorar as competências a nível da investigação, mesmo as mais complexas que estão a cargo da PJ, enquanto polícia científica.

“Estando presente em todos os concelhos do país, importa melhorar e valorizar as nossas capacidades de inquirição científica nas várias vertentes que requerem uma eficácia da aproximação, sem descuidar da estreita articulação e a coordenação do Ministério Público a quem cabe constitucionalmente a direcçao da investigação”, disse.

O director nacional da PN espera que no final deste curso os formandos estejam munidos de conhecimentos em metodologia de investigação e técnicas de inquirição e entrevistas mais consolidados e melhor preparados para enfrentarem o futuro que se advinha cada vez mais exigente.

Para além dos 33 efectivos da PN participam desta formação que tem a duração de duas semanas, quatro efectivos da PJ e quatro agentes do Ministério Público.

A formação conta com o apoio técnico e financeiro do Governo dos EUA e acontece no âmbito do projecto mundial CRIMJUST do Escritório das Nações Unidas contra Droga e Crime (ONUDC) que visa reforçar a investigação criminal e a cooperação criminal ao longo da rota da América Latina, Caribe e Africa Ocidental.

MJB/FP

Inforpress/fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos