PM da Guiné-Bissau promete prender quem insultar chefe de Estado e presidente do parlamento

 

Bissau, 27 set (Inforpress) – O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, afirmou que, a partir de hoje, quem insultar o Presidente guineense, José Mário Vaz, e o presidente do parlamento, Cipriano Cassamá, será preso pelo ministro do Interior, Botche Candé.

“A partir de hoje, qualquer cidadão que insultar o chefe de Estado será preso. Em que parte do mundo o Presidente é insultado?”, questionou Sissoco Embaló, que falava numa cerimónia de graduação de agentes da polícia, em Bissau.

Para o primeiro-ministro guineense, de uns tempos a esta parte, tornou-se moda insultar a figura do chefe do Estado guineense, quando nos outros países a prática dá direito à prisão.

“Nos Estados Unidos de América, quem insultar o Presidente Trump é detido, em França, idem aspas, no Senegal há pessoas que ficaram um ano na prisão, por ordens do Presidente Macky Sall, que haviam insultado”, afirmou Umaro Sissoco Embaló.

“Nós aqui pensamos que insultar o chefe do Estado dá fama”, observou Embaló, dando ordens directas aos ministros do Interior, Botche Candé, e da Defesa, Eduardo Sanhá, para que prendam os que insultarem José Mário Vaz.

A medida também abrange quem insultar o presidente do Parlamento, Cipriano Cassamá, e o primeiro-ministro, precisou Sissoco Embaló, que prometeu mandar prender o ministro do Interior se este não detiver quem ousar insultar uma daquelas três figuras do Estado guineense.

“Tenho poderes para tal”, enfatizou o chefe do executivo guineense, que quer “dignificar os valores da República” com a medida para “acabar com a balbúrdia” na Guiné-Bissau, onde, disse, no passado, não existiam insultos às figuras do Estado.

Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos