Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Plataforma Sindical denuncia e repudia “aumento brutal” do preço da electricidade

Cidade da Praia, 11 Set (Inforpress) – A Plataforma Sindical – Unir e Resgatar a UNTC-CS denunciou hoje o anúncio do “aumento brutal” do preço da electricidade, a vigorar a partir de 01 de Outubro, chegando a atingir 37%, e pede “suspensão imediata” da medida.

A denúncia foi feita pelo coordenador da Plataforma,   Eliseu Tavares, na Cidade da Praia, tendo acusado o Governo de querer “lavar as suas mãos”, quando o ministro da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Monteiro, apontou, em conferência de imprensa, que foi a Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME), que decidiu e anunciou esse aumento.

“A Plataforma Sindical defende e propõe ao Governo a suspensão imediata dessa medida por ser cruel e injusta, economicamente, insustentável, tanto para os trabalhadores em particular como para a população cabo-verdiana em geral”, afiançou.

Segundo o também presidente do Sindicato da Indústria, Serviços Comércio e afins, (Siscap), a Plataforma Sindical propõe também ao Governo, que caso mantiver essa medida, que seja declarado o fim imediato do lay-off, passando os trabalhadores a auferirem 100% do seu salário, bem como aumento salarial geral para todos os trabalhadores da Administração Pública, empresas públicas e privadas.

Conforme assegurou o coordenador da Plataforma Sindical – Unir e Resgatar a UNTC-CS, caso o Governo não tome medidas face a esse aumento da electricidade irão preparar “acções mais profundas, de rua”, para chamar a atenção.

E apelou, de igual modo, a todos os sindicatos do País a denunciarem esta medida e que caso seja necessário, organizarem em conjunto outras formas de luta.

Tavares lembrou ainda que o ministro Alexandre Monteiro disse que “ninguém vai pagar mais do que pagava no início da pandemia da covid-19”, ou seja, asseverou, há uma contradição do Governo, que quer “passar a ideia” de que a pandemia em Cabo Verde já terminou.

“O Governo, na voz do senhor ministro da Indústria e Comércio e Energia, disse também que vão tomar medidas que serão anunciadas ainda antes da entrada em vigor das novas tarifas, em Outubro, para proteger amortecer esse choque. E a plataforma Sindical, como é óbvio, desconhece quais são essas medidas do Governo para proteger e amortecer esse choque desse aumento brutal da electricidade”, disse este responsável.

Eliseu Tavares recordou igualmente que o País ainda está sob a crise pandémica, tendo sublinhando que a situação está a piorar nestes últimos tempos, o que requer a “manutenção e quiçá o reforço” das medidas de apoio e protecção para as pessoas e empresas.

Assinalou ainda que desde 2011 os salários na Administração Pública encontram-se congelados, tendo o Governo desde o início da sua Governação, em 2016, concedido um único aumento salarial, em 2019, na ordem de 2,2%, apenas para um número reduzido de trabalhadores da Administração Pública.

TC/AA

Inforpress/Fim 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos