Search
Generic filters
Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in excerpt
Filter by Categories
Politica
Desporto
Economia
Sociedade
Ambiente
Cooperação
Cultura
Internacional
Destaques
Eleições

Plano de prevenção e combate à violência sexual contra crianças e adolescentes implementado em 2022 – Lídia Lima

Mindelo, 19 Nov (Inforpress) – A Secretária de Estado da Inclusão Social disse hoje à Inforpress, no Mindelo, que o Governo vai implementar, em 2022, o plano nacional de prevenção e combate à violência sexual contra crianças e adolescentes.

Lídia Lima falava à margem do lançamento do programa reforço familiar e protecção infantil, financiado pelo governo alemão e pelo Hermann Gmeiner Fonds, da Alemanha, no valor de 550 mil euros (cerca de 60.648.500 escudos) e que será desenvolvido pelo Centro Social SOS, em São Vicente, para beneficiar 200 famílias e 800 crianças de quatro comunidades carentes.

Segundo a governante, a implementação desse programa em 2022 implicará também o envolvimento de todos os parceiros que trabalham com crianças e adolescentes como as Aldeias Infantis SOS, a associação Acrides e o Governo, através dos ministérios da Educação, da Saúde, da Justiça e do Turismo.

“Nós temos novos projectos e iniciativas que vão ao encontro daquilo que são os problemas que estamos a viver, nos dias de hoje, mas, também, estamos a reforçar tudo aquilo que tem sido feito, paulatinamente, ao longo dos anos e que agora precisa de uma intervenção mais forte porque definimos a criança como prioridade absoluta para esta governação”, explicou Lídia Lima.   

A Secretária de Estado de Inclusão Social afirmou ainda que “serão reforçadas as parcerias e a rede institucional principalmente com as organizações não governamentais” porque, salientou, “é com a intervenção conjunta ou a junção de sinergias que se consegue resolver os problemas ligados à infância e à protecção de menores”.

Igualmente anunciou que em 2022 vão alargar a rede de creches, reforçar a intervenção a nível dos jardins de infância, nomeadamente, na reabilitação, na subvenção para o pré-escolar, implementar centros de dia nalguns bairros vulneráveis do País, contratar mais monitores de rua para as ilhas de Santiago, São Vicente e Sal.

“Neste momento estamos a fazer todo o levantamento das informações a equilibrar as coisas, mantendo os projectos a funcionar, mas estamos a pautar tudo aquilo que é prioridade para iniciarmos com força em 2022 juntamente com os nossos parceiros da área da infância”, frisou, defendendo que “a área social exige uma intervenção integrada nos vários programas direccionados a mulheres chefes de família, à infância, a adolescentes e a idosos, de forma integrada e holística”

“Tudo tem de ser pensado de forma transversal para melhorar as respostas e fazer algo para tirar as crianças e os familiares da situação de pobreza. Zelar para ter mulheres a trabalhar e empoderadas que possam educar os seus filhos com autonomia emocional e financeira”, sustentou.

Deste modo, segundo Lídia Lima, entre as apostas estão o aumento dos benefícios sociais, como creches, e o reforço dos projectos para idosos como forma de libertar as mulheres, que são chefes de família, e que cuidam dos filhos e de idosos, para mercado do trabalho.

CD/HF

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos