Plano de monitorização da vegetação do Parque Natural do Fogo validado na próxima semana

São Filipe, 03 Ago (Inforpress) – O plano de monitorização da vegetação do Parque Natural do Fogo (PNF) será validado na próxima semana durante um workshop promovido por esta organização não-governamental ligada à área ambiental.

O plano de monitorização da vegetação do PNF foi elaborado no quadro do projecto “Melhorar o conhecimento pela conservação das espécies da flora ameaçadas de extinção nas ilhas do Fogo e Brava”, financiado pelo Fundo de Parceria para Ecossistemas Críticos (CEPF, na sigla em inglês).

De acordo com uma nota de imprensa da Associação Projecto Vitó, a elaboração do plano foi uma parceria com o Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA), delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), equipa do Parque Natural do Fogo e as associações comunitárias das zonas de amortecimento do parque.

Durante o workshop serão apresentados os principais resultados alcançados durante a vigência do projecto e apresentação dos painéis informativos e do plano de monitorização da vegetação do PNF e a sua validação.

O plano de monitorização da vegetação do PNF é o resultado do workshop realizado no passado mês de Abril pela Associação Projecto Vitó para recolha de subsídios para a sua elaboração.

Na altura, o consultor Isildo Gomes destacou que o método de recolha de subsídios junto dos representantes das associações comunitárias, representantes das comunidades locais e demais elementos, que estão em contacto directo e diariamente com o Parque Natural do Fogo, é fundamental para que no final se possa ter um plano inclusivo, de todos e para todos.

O plano de monitorização da vegetação do PNF é considerado pela associação como sendo um documento de “muita importância” para a valorização e conservação dos recursos naturais do parque de forma sustentável.

Este workshop marcará também o encerramento do projecto “Melhorar o conhecimento pela conservação das espécies da flora ameaçadas de extinção nas ilhas do Fogo e Brava” que, segundo os responsáveis da associação, teve “resultados excepcionais”, entre eles a elaboração do de monitorização da vegetação do Parque Natural do Fogo, levantamento de todo a flora endémica da Brava e do Fogo e capacitação técnica de uma equipa de 15 pessoas no domínio da flora.

Ainda durante a sua vigência apoiou o PNF na monitorização e realização de várias outras actividades ambientais, nomeadamente de educação e sensibilização, produção de cerca de 20 mil plantas endémicas que foram afixadas nos últimos três anos.

Apesar do término deste projecto, a Associação Projecto Vitó tem a garantia de continuidade do trabalho neste domínio com a implementação de um novo projecto denominado “Momento da conservação da flora endémica de Cabo Verde”, que vai permitir a associação replicar a experiência das ilhas do Fogo e da Brava em outras ilhas de Cabo Verde.

JR/AA

Inforpress/Fim

Facebook
Twitter
  • Galeria de Fotos