Perdas no sistema de gestão de água na cidade da Praia rondam os 40% – ministro do Ambiente (c/áudio)

Cidade da Praia, 28 Jan (Inforpress) – O ministro da Agricultura e Ambiente adiantou hoje que as perdas no sistema de gestão de água na cidade da Praia rondam os 40% e estão relacionadas com o sistema de canalização que é velho e com questões comerciais.

Estas são, entre outras, lacunas constatadas no II Relatório Anual dos Serviços de Água e Saneamento (RASAS-CV) a ser apresentado esta tarde, na Praia, pela Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME,) em parceria com Agência Nacional de Água e Saneamento (ANAS), no âmbito do projecto PASEA-CV-082 da Cooperação Luxemburguesa.

Gilberto Silva que falava aos jornalistas hoje, à margem da 6ª reunião do Comité de Pilotagem do Programa de Apoio ao Sector de Água e Saneamento (PASEA), avançou que as perdas no sistema de gestão de água na capital do país estão na ordem dos 40 por cento (%) e estão ligadas às questões comerciais de cobrança e de facturação e com o sistema de canalização que é velho e precisa de investimentos.

Em relação à qualidade da água produzida e distribuída, o governante afiançou que “é boa”, mas acrescentou que o relatório indica que é preciso melhorias em todo o serviço de monitoramento, estruturação de um laboratório que preste serviços rotineiros de qualidade para que o país possa ter dados completos e rotineiros.

“Já demos passos significativos nesta questão, na medida em que aprovamos as formas de qualidade de água em Cabo Verde e com base nessas normas estamos a reestruturar todo o serviço laboratorial para que possamos ter uma referência”, revelou o ministro que sublinhou que estão a trabalhar no sentido de terem relatórios anuais para que se possa fazer a comparação, evolução e ver onde existem mais perdas de água.

Para que o arquipélago tenha uma gestão sustentável dos recursos hídricos e água de qualidade nas torneiras, Gilberto Silva defendeu que é preciso fazer investimentos a nível da mobilização de água, mas também em acções e medidas de redução de perdas.

Por outro lado, considerou ainda que este relatório vai permitir aos cidadãos e às operadoras que trabalham ligadas ao sector obter informações sobre a qualidade dos serviços prestados.

O RASAS é um instrumento que avalia o desempenho da qualidade tanto dos serviços de água e saneamento como do próprio produto, através de um Sistema de Informação Regulatória (SIRAS), partilhada entre ARME e ANAS.

AV/ZS

Inforpress/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos