Percepção do consumo do tabaco em Santiago Norte é “bastante baixa”- responsável

Assomada, 30 Mai (Inforpress) –  A percepção do consumo do tabaco nos seis municípios da região  Santiago Norte é “bastante baixa” e configura-se como um “factor protector” do desenvolvimento das doenças crónicas (diabetes e hipertensão arterial) não transmissíveis e das suas consequências.

A informação foi avançada à Inforpress pelo director da Região Sanitária Santiago Norte (RSSN), João Baptista Semedo, à margem do worshop sobre maléficos do tabaco, organizado pelo Ministério da Saúde e da Segurança Social, através da Comissão de Coordenação do Álcool e Outras Drogas (CCAD).

O workshop foi realizado em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), no âmbito do Dia Mundial sem Tabaco que se assinala sexta-feira, 31, cujo acto central tem como palco Assomada, no concelho de Santa Catarina.

Apesar de não haver um estudo sobre o consumo do tabaco nessa região, segundo este responsável de Saúde, a “baixa prevalência” do tabaco a nível do foro circulatório constitui um “factor protector” da saúde da população dos seis municípios de Santiago Norte (Santa Catarina, São Salvador do Mundo, São Lourenço dos Órgãos, Santa Cruz, São Miguel e Tarrafal).

É que, segundo a mesma fonte, estando a população “afastada” do consumo do tabaco, que aliás, a seu ver, constitui “algo de bom para a sua saúde e para o bem-estar quer familiar, quer pessoal”, acrescentando que onde há uma taxa elevada do consumo do tabaco tal se reflecte nos consumidores passivos, tendo em conta que tem o mesmo efeito nocivo.

Entretanto, o director da RSSN informou que as doenças crónicas (tensão alta, diabetes e cancro), de momento, configuram-se como as principais doenças a nível nacional e da região, mas como são poli-factorial, ou seja, não é apenas o tabaco que agrava essas doenças.

“O tabaco não é um elemento que agrava essas doenças, mas existem outros factores que permitem o desenvolvimento dessas doenças [tensão alto, diabetes e cancro], mas o facto de não termos o tabaco como o factor agravante em Santiago Norte, posiciona-se com factor protector”, disse, acrescentando, no entanto, que essas doenças crónicas vão continuar, por dependerem de outros factores.

Por outro lado, informou que  o foco da RSSN tem sido a prevenção, sobretudo nas estruturas de Saúde primárias, onde se dá primazia à educação sanitária sobre diversas temáticas que incluem a do consumo de substâncias nocivas, da qual o tabaco faz parte.

Ainda enquadrado na data serão ainda realizadas esta sexta-feira outras actividades que incluem uma conversa aberta com os docentes a alunos do Liceu Amílcar Cabral e uma marcha pelas ruas da Cidade de Assomada.

FM/AA

Inforpress/Fim

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos