Pequim fala em “sinais de apaziguamento” sobre a Coreia do Norte

 

Pequim, 23 Ago (Inforpress) – Pequim disse hoje que estão a surgir “sinais de apaziguamento” na crise em torno do programa nuclear norte-coreano, mas que a situação continua “complicada e sensível”.

“A situação extremamente tensa”, em torno da Coreia do Norte “apresenta sinais de apaziguamento, embora continue complicada e sensível”, disse Hua Chunying, porta-voz do Ministério chinês dos Negócios Estrangeiros.

Por outro lado advertiu que as novas sanções norte-americanas contra organizações e indivíduos russos e chineses “não vão ajudar a encontrar uma solução” e “não facilitam” a cooperação da China nesta matéria.

Washington anunciou na terça-feira sanções contra 10 organizações e seis indivíduos chineses e russos por considerar que contribuem para o desenvolvimento do programa nuclear da Coreia do Norte.

“O Departamento do Tesouro continuará a aumentar a pressão sobre a Coreia do Norte, visando os que apoiam o desenvolvimento dos programas nuclear e balístico e isolando-os do sistema financeiro norte-americano”, advertiu o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, citado num comunicado.

“É inaceitável que indivíduos ou empresas na China, Rússia ou noutros lugares permitam à Coreia do Norte obter rendimentos para desenvolver armas de destruição em massa”, adiantou.

As sanções incluem o bloqueio dos activos nas jurisdições norte-americanas e a proibição de negócios com cidadãos dos Estados Unidos.

Entre as entidades e pessoas alvo das sanções encontram-se a Dandong Rich Earth Trading e a Mingzheng International, com sede na China, e a Gefest-M LLC e o seu director, Ruben Kirakosyan. Esta última empresa tem sede em Moscovo.

Outras quatro empresas chinesas, duas sediadas em Singapura que vendem petróleo à Coreia do Norte e uma construtora com sede na Namíbia, completam a lista das companhias alvo das novas sanções.

Lusa/Fim

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
  • Galeria de Fotos